Taxistas

Taxistas adiam manifestação para 19 de setembro no regresso ao trabalho da Assembleia da República

A manifestação de taxistas convocada para 11 de setembro foi adiada para dia 19 do mesmo mês para coincidir com a data de regresso ao trabalho dos deputados à Assembleia da República.

ANTONIO COTRIM/EPA

A manifestação de taxistas convocada para 11 de setembro foi adiada para dia 19 do mesmo mês para coincidir com a data de regresso ao trabalho dos deputados à Assembleia da República, informaram esta sexta-feira as associações do setor. De acordo com um comunicado, a manifestação nacional terá lugar “junto ao Parlamento” e haverá também concentrações distritais no Porto, em Braga e em Faro.

No início de agosto, as associações de taxistas convocaram a manifestação por tempo indeterminado, em Lisboa, contra a promulgação pelo Presidente da República do diploma que regula as plataformas eletrónicas de transporte como a Uber e a Cabify.

A decisão de convocar a manifestação nacional foi tomada durante uma reunião entre o presidente da Associação Nacional dos Transportes Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL), Florêncio Almeida, e o presidente da Federação Portuguesa do Táxi (FPT), Carlos Ramos, que decorreu no dia 02 de agosto, em Lisboa.

Na convocatória da manifestação, as associações de taxistas exigiam que o Presidente da República suscitasse a fiscalização preventiva do diploma. Não foi ainda anunciado o local de início da concentração, que vai terminar na Assembleia da República, e os locais e horários das concentrações no Porto, Braga e Faro.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Taxistas

Táxi? Não, carro com motorista /premium

Helena Garrido
135

Que serviços presta hoje um táxi ou a Uber? Com as escolhas que existem nas cidades, na era da economia da partilha, os taxistas que não o perceberem estão condenados. Nenhum governo os pode salvar.

António Costa

O caminho para lado nenhum /premium

Rui Ramos

O sucesso de António Costa reflecte a capacidade de que a oligarquia política continua a dispor, numa sociedade envelhecida e dependente, de fazer pagar por todos o que só beneficia alguns. 

Assalto em Tancos

Tancos: é ainda pior do que parece

Bruno Cardoso Reis

Se é certo que em Portugal as Forças Armadas sempre serviram para bem mais do que fazer a guerra, hoje em dia essas outras tarefas são cada vez mais numerosas e cada vez mais vitais. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)