Banda Desenhada

Francisco Sousa Lobo participa no Festival Internacional de Literatura em Berlim

188

O ilustrador e escritor português Francisco Sousa Lobo vai participar no painel sobre Novela Gráfica do 18.º Festival Internacional de Literatura, que se realiza em Berlim, de 5 a 15 de setembro.

JOS

O ilustrador e escritor português Francisco Sousa Lobo vai participar no painel sobre Novela Gráfica do 18.º Festival Internacional de Literatura, que se realiza em Berlim, de 5 a 15 de setembro próximo, anunciou esta segunda-feira a organização.

A Haus der Berliner Festspiele é o cenário central do festival que marca presença em toda a capital alemã, com diversos eventos, e conta na sua programação com nomes como os da italiana Francesca Melandri, do canadiano Michael Ondaatje ou o indiano Vivek Shanbhag.

A programação do festival visa apresentar “autores de renome e menos conhecidos na Alemanha, bem como debater temáticas de relevo, através de obras literárias”, segundo a organização. O festival, no qual participam 200 autores de 50 países, conta com seis eixos essenciais: “Decolonizing Wor:l:ds” (“Descolonizando mundos”, num trocadilho entre o termo “mundo” e “palavra”, em inglês), “Escrita de Natureza”, “A Arte da Culinária”, “A Política das Drogas”, “A Evolução da Cultura Humana” e o congresso “O que vem depois do estado-nação?”.

Francisco Sousa Lobo, nascido em 1973 em Moçambique, participa no dia da Novela Gráfica, agendado para 9 de setembro, cujo painel de participantes resulta de uma curadoria do alemão Lars von Törne, com as presenças de Paula Bulling (Alemanha), Liu Jing (China), Mazen Kerbaj (Líbano/Alemanha), Eric Lambé (Bélgica), Philippe de Pierpont (Bélgica), Leopold Maurer (Áustria), Athanassios Petrou (Grécia) e Liv Strömquist (Suécia).

O discurso da cerimónia de abertura cabe à escritora e jornalista austríaca Eva Menasse, autora sem obra ainda editada em Portugal, que foi jornalista do jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung e cujo primeiro romance, “Vienna” (2005), foi finalista, em 2007, do Independent Foreign Fiction Prize, no Reino Unido. A cerimónia de inauguração conta ainda com um recital pelo pianista russo Igor Levit, ao qual se segue o escritor alemão Burghart Klaußner que lerá excertos do seu romance “Vor dem Anfang” (“Antes do Começo”), que será o primeiro livro a ser apresentado neste 18.º Festival Internacional de Literatura. A escritora nigeriana Akwaeke Emezi apresentará a tradução de sua novela “Freshwater” e Dima Wannous (Síria/Líbano) a do seu livro “Die Verängstigten” (“Os Assustados”).

O participante português, Francisco Sousa Lobo, vive em Londres desde 2005, onde se doutorou em Artes, no Goldsmiths College. Sousa Lobo estudou arquitetura e faz parte da Ordem dos Arquitetos, mas desde 1980 que se dedica Banda desenhada. Como artista plástico expôs em Inglaterra e Portugal. Entre outras edições, participou na ‘zine’ (edição autofinanciada de limitada circulação) “Mesinha de Cabeceira/CapitãoCrica Ilustrada” e no “Zona de Desconforto”. Em 2013 editou o livro “The Dying Draughtsman — O Desenhador Defunto”. Em 2015, publicou “The Care of Birds / O Cuidado dos Pássaros”, romance gráfico vencedor do concurso “Toma lá 500 paus e faz uma BD!”.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)