Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Depois do silêncio, Asia Argento veio agora negar as acusações de um alegado abuso sexual feitas pelo ator Jimmy Bennet, que diz que a atriz lhe terá pago 380 mil dólares pelo seu silêncio. “Nunca tive uma relação sexual com Bennet”, afirma a atriz num comunicado enviado pela atriz a algumas redações e partilhado nas redes sociais. Argento diz ainda que a ideia de pagar ao ator foi de Anthony Bourdain, o seu então companheiro.

Desminto e repudio o conteúdo publicado no New York Times (…) Estou profundamente chocada e magoada ao ler notícias que são absolutamente falsas. Nunca tive uma relação sexual com Bennet“, diz a atriz, acrescentando que só estavam “ligados por uma amizade”, lê-se no jornal britânico The Guardian.

Depois da minha exposição no caso Weinstein, Bennet — que estava a atravessar uma fase de graves problemas económicos, e que tinha interposto ações legais contra a própria família, pedindo indemnizações de milhões — inesperadamente fez-me um pedido exorbitante de dinheiro a mim”, afirmou a atriz italiana.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Argento disse ainda que Anthony Bourdain fez o pagamento porque tinha receio de “publicidade negativa” que uma pessoa como Bennet, que considerava “perigoso”, podia trazer para a sua reputação. “O Anthony assumiu pessoalmente a tarefa de ajudar Bennet financeiramente, na condição de não voltarmos a sofrer intrusões na nossa vida“, disse a atriz em comunicado.

Ex-namorada de Bourdain pagou a jovem de 17 anos que a acusou de assédio sexual

A atriz italiana, que foi uma das grandez vozes do movimento #MeToo, que denunciou milhares de casos de assédio sexual e violação pelo mundo, foi acusada de pagar 380 mil dólares a Bennet pelo seu silêncio. O New York Times teve acesso ao acordo, que terá sido feito poucos meses antes de a atriz ter acusado Harvey Weinstein de a ter violado. Asia Argento foi uma das primeiras mulheres a acusar de assédio o produtor norte-americano. O namorado, o chef Anthony Bourdain, que se suicidou em junho deste ano, também se juntou ao movimento.

O discurso arrebatador de Asia Argento em Cannes: “Eu fui violada por Harvey Weinstein aqui”