Quase 2000 ocorrências, várias vias cortadas em Leiria e Coimbra, 27 feridos ligeiros, 61 desalojados e 324 400 pessoas ficaram sem luz elétrica (há 200 linhas de alta/média tensão fora de serviço), com a EDP a considerar a situação “muito grave”: era este o balanço na manhã de domingo, horas depois de o Leslie ter entrado em Portugal continental pela zona da Figueira da Foz.

Na Figueira da Foz, as rajadas de vento ultrapassaram os 170 km/h, numa fase crítica que não terá ter durado mais de 15 minutos, o suficiente para causar muitos estragos.

À medida que a noite avançou e a tempestade tropical continuou o seu caminho em direção ao distrito de Bragança, o número de ocorrências continuou a aumentar, sobretudo nas zonas mais afetadas — Lisboa, Leiria e Coimbra (este último foi mesmo o distrito mais atingido, seguindo-se Leiria, Aveiro e Viseu). Esta foi a maior tempestade a afetar Portugal desde 1842, altura em que um furacão devastou a ilha da Madeira antes de seguir rumo ao sul de Espanha.

Veja a fotogaleria com imagens dos estragos que o Leslie deixou ao passar por Portugal.