Jeep

Novo Cherokee chega a Portugal em tempo de ‘records’

O Cherokee, o mais emblemático dos SUV da Jeep, chega ao nosso país com uma estética renovada, nossos motores e mais equipamento. E numa altura em que a marca está nos píncaros em termos de vendas.

O Cherokee pode não ser o mais luxuoso dos modelos da Jeep, mas é um dos que enverga uma das denominações mais conceituadas e com mais história. O SUV americano sempre gozou de grande aceitação junto do público, mas a última geração não foi feliz em termos estilísticos, pois os designers da casa usaram e abusaram da criatividade, concebendo um modelo com uma frente demasiado estranha. Mas como ‘para grandes males grandes remédios’, eis que surge um Cherokee renovado, com uma frente moderna, mas fiel à imagem do construtor, além de outras diferenças por dentro e por fora.

Com uma frente nova, em que a grelha tradicional rima com os faróis rasgados, e uma traseira igualmente mais atraente dá um toque de distinção ao SUV com mais de 4,6 metros de comprimento, o novo Cherokee muito está cativante para quem o vê de fora. Mas uma vez lá dentro, o SUV surpreende com melhores materiais, mais equipamento de conforto e de segurança e mais soluções de infoentretenimento, graças ao recurso à 4ª geração do sistema Uconnect, que pode ser visível em ecrãs de 7 e 8,4 polegadas.

Igualmente importante é a adopção do novo motor 2.2 turbodiesel, com versões de 150 e 195 cv, similar ao que equipa o Giulia, ou seja, um motor da última geração, o que se pode traduzir por mais suavidade e menos consumo, sem que isto belisque a potência. Associado a esta unidade está uma nova caixa automática de 9 velocidades, que pode ser comandada através das patilhas junto ao volante, sendo que em 2019 surgirá um motor a gasolina 2.0, com 270 cv, também ele herdado do Giulia.

Com versões 4×2 e 4×4, estas últimas com três tipos de tracção, o Jeep Active Drive I (com controlo da distribuição da potência pelos dois eixos), o Jeep Active Drive II (similar, mas com redutoras, ideal para situações de trial) e o Jeep Active Drive Lock, que a tudo o resto alia o bloqueio do diferencial posterior, para garantir a máxima tracção em zonas com uma aderência mínima. Além da tracção integral, o condutor pode ainda recorrer a vários modos de condução, mais uma vez de acordo com as especificidades do terreno, com o sistema Select Terrain a permitir-lhe optar pelo Snow, Sport, Sand/Mud e Auto, em que é o veículo que decide qual a melhor opção.

Com os níveis de equipamento Longitude, Limited, Overland, Sport e Trailhawk, o Cherokee mais acessível é proposto por 52.000€, correspondente ao Longitude 4×2, com motor 2.2 de 150 cv, enquanto que a versão mais onerosa é comercializada por 70.500€, precisamente a Overland com motorização 2.2 com 195 cv e tracção 4×4.

A chegada do novo Cherokee ao nosso país surge num momento particularmente animado em matéria de vendas, pois a Jeep deverá conseguir comercializar até final do ano cerca de 1.800 veículos, quando nos últimos anos raramente ultrapassou as 300 unidades.

O novo Cherokee vai certamente dar um contributo importante para este incremento de vendas, tal como o novo Wrangler, o luxuoso Grand Cherokee e sobretudo o pequeno Renegade. O mais pequeno dos Jeep também foi profundamente revisto e se chega ao nosso país inicialmente por valores a partir de 21.500€, irá beneficiar ainda de uma versão especial, que irá ser proposta por apenas 19.000€.

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)