A ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, exaltou-se esta quarta-feira, no Parlamento, no momento em que respondia a perguntas de um deputado do PSD sobre o caso de Tancos, que a ministra já tinha respondido por escrito e assunto do qual reforçou saber “zero, zero e mais zero. Na audição no âmbito do debate da especialidade no Orçamento do Estado para 2019, a ministra subiu o tom e com a voz alterada afirmou: “O senhor deputado, mandou-me perguntas por escrito e eu respondi por escrito. Se faz questão que eu responda aqui no Parlamento, na sua cara e perante todo o Parlamento eu respondo às três perguntas“.

A voz continuou no mesmo registo e a ministra foi fazendo um zero com os dedos sempre que dizia a palavra: “Quanto ao desaparecimento, sei zero! Quanto ao aparecimento, zero! Quanto à encenação, zero e mais zero! O que sei é aquilo que é público e consta das notícias“. Nesse momento, Carlos Peixoto, o deputado que tinha feito as questões diz, num aparte: “Não se irrite.” Francisca Van Dunem, quase a gritar, diz: “Irrito-me sim. Vai-me desculpar, senhor deputado.”

Aumentou o ruído na sala. De tal forma que a presidente da Comissão de Finanças, Teresa Leal Coelho, teve de intervir para que fosse possível continuar a ouvir a ministra: “Senhora ministra, peço desculpa. Senhores deputados, vamos dar condições à senhora ministra para responder.”

Na mesma intervenção a ministra da Justiça disse ainda que não há qualquer dúvida quanto ao que disse sobre a PJM militar, já que, quando foi questionada sobre o assunto, o que disse foi que “não era momento de discutir a dispersão de polícias, numa altura em que se estava a discutir essa responsabilidade.”

Os vários ministros estão a ser ouvidos no Parlamento no âmbito do debate do Orçamento do Estado na especialidade. A ministra da Justiça está a ser ouvida na tarde desta quarta-feira.