Curiosidades Auto

Acabou-se a bebida na Tesla?

Elon Musk é um empreendedor. Depois do PayPal lançou-se nos foguetões, a seguir nos carros eléctricos, painéis fotovoltaicos e túneis. Agora, queria divertir-se a produzir tequila, mas não está fácil.

Autor
  • Observador

Além de todos os projectos sérios a que se dedica, da SpaceX à Tesla, passando pela Boring Company, Musk adora inventar produtos que não lembram a ninguém, para se entreter ou simplesmente pelo desafio. E exemplos não faltam, dos chapéus aos lança-chamas. A boa imagem das suas empresas sempre lhe permitiu ter lucro com a venda desses produtos marginais mas, aparentemente, a “sorte” acabou-se.

O mais recente projecto em que o empresário se meteu foi a Teslaquila, ou seja, a tequila da Tesla. Parece um disparate, mas a reacção dos seus fãs, a começar pelos mais de 23 milhões de seguidores que possui no Twitter, encorajaram o sul-africano a meter mãos à obra, percorrendo o caminho normal que começa pelo registo da marca, concepção do logótipo e o necessário business plan.

Quando tudo parecia bem encaminhado e fácil de implementar para alguém como Elon Musk, a quem é atribuído um valor superior a 22 mil milhões de dólares, eis que a Teslaquila se deparou com alguns obstáculos. A marca foi registada no US Patent and Trademark Office, em Outubro, definindo a Teslaquila como um “licor destilado de agave azul”, o cacto de que é feita a tequila original, bebida que existe desde o século XVI e que está patenteada pelos mexicanos.

Assim que o Conselho Regulatório da Tequila Mexicana se apercebeu que a Teslaquila ia mesmo avançar, eles que registaram o termo tequila em mais de 40 países como sendo uma bebida tradicional mexicana, sendo apenas passível de ser produzida em locais seleccionados do México, depressa se opuseram formalmente à Teslaquila, pela denominação ser demasiado próxima do produto original.

Resta agora saber qual será a reacção de Musk, que é conhecido por adorar um bom desafio, ficando a dúvida se acata o pedido do regulador ou se, pelo contrário, opta por enfrentar os mexicanos.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote na segunda edição do concurso dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto ObservadorVote agora

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)