Rádio Observador

Aeroportos

Governo britânico reforça medidas contra drones após caos no aeroporto de Gatwick

A presença de drones na pista provocou o caos em dezembro, no aeroporto de Gatwick, em Londres. O Governo britânico estabeleceu que os drones serão proibidos numa área de 5 km ao redor dos aeroportos.

Em 22 de dezembro, todos os voos em Gatwick ficaram suspensos e mais de 100.000 passageiros foram afetados devido à presença de drones no espaço aéreo

FACUNDO ARRIZABALAGA/EPA

O Governo britânico anunciou esta terça-feira o reforço de medidas contra os drones, após a presença destes aparelhos na pista ter provocado o caos em finais de dezembro no aeroporto de Gatwick, em Londres.

As aeronaves não tripuladas (drones) serão proibidas numa área de cinco quilómetros ao redor dos aeroportos, um aumento face ao número de quilómetros impostos até agora (um quilómetro), indicou na noite de segunda-feira o Governo.

A partir de 30 de novembro, os detentores de drones que pesam entre 250 e 20 quilos terão que se registar e passar por um teste de competências para pilotar drones. A polícia poder aplicar multas de até 100 libras (112 euros) se, por exemplo, um utilizador de drone se recusar a pousar o aparelho ou não apresentar prova de registo.

O ministro dos Transportes, Chris Grayling, denunciou na Câmara dos Comuns um ato “deliberado” e advertiu que os responsáveis “enfrentarão pena de detenção máxima por esse ato criminoso extremamente irresponsável”. Os dois maiores aeroportos do Reino Unido, Heathrow e Gatwick, anunciaram que vão investir vários milhões de libras em equipamentos anti-drones.

Em 25 de dezembro, o secretário de Estado da Segurança, Ben Wallace, anunciou em comunicado que o país utilizará sistemas de deteção de drones, sem especificar como são ou com que rapidez serão adotados. “A grande proliferação destes aparelhos, juntamente com os desafios de adotar medidas militares em ambiente civil, faz com que não haja soluções fáceis” para este problema, sublinhou Wallace, afirmando: “No entanto, posso dizer que agora podemos usar sistemas de deteção em todo o Reino Unido para combater estas ameaça”.

O secretário de Estado advertiu que quem usar drones com fins criminosos deve esperar “condenações graves” e mostrou-se confiante de que a polícia conseguirá localizar os responsáveis que provocaram o caos no aeroporto de Gatwick.

Em 22 de dezembro, todos os voos em Gatwick, o segundo aeroporto britânico depois de Heathrow, ficaram suspensos e mais de 100.000 passageiros foram afetados, após alguns drones terem sido vistos nas imediações da pista. A gravidade da situação obrigou o Governo a deslocar o exército para localizar os objetos voadores por controlo remoto, mas sem que até agora se tenha esclarecido o incidente.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)