Rui Rio

Rio após encontro com Marcelo. “Vou responder, não vou fingir que nada aconteceu”

435

Reunião de Rio com Marcelo foi depois de Luís Montenegro o ter desafiado para eleições diretas. "Vou responder, não vou fingir que não se passa nada", disse Rio. Montenegro vai a Belém segunda-feira.

O encontro entre Rui Rio e Marcelo Rebelo de Sousa realiza-se no hotel Sheraton, no Porto, por volta das 19h30

LUSA

Rui Rio encontrou-se esta noite no Porto com Marcelo Rebelo de Sousa, avançou a TSF e confirmou o Observador esta sexta-feira. O encontro foi solicitado pelo Presidente da República, depois de o líder do PSD ter sido desafiado por Luís Montenegro para a marcação de eleições diretas no partido. Ao repto de Montenegro, contudo, Rio ainda não diz nada: “Vou responder naturalmente, não vou fazer de conta que nada está a acontecer, isso era hipocrisia”. Mas Rio, que foi um corredor de atletismo na categoria dos 100 metros quando era mais novo, agora já prefere corridas de fundo e meio fundo.

Entretanto, o Observador confirmou junto da Presidência que, a pedido de Luís Montenegro, Marcelo Rebelo de Sousa vai também receber o candidato desafiador na segunda-feira, em Belém.

A reunião com Rio, que aconteceu no hotel Sheraton, no Porto, por volta das 19h30, durou pouco mais de meia hora. No final, aos jornalistas, Rui Rio começou por limitar-se apenas a confirmar que a reunião tinha sido pedida pelo Presidente e a dizer que falaram “sobre assuntos de política interna e externa” porque já não falavam pessoalmente “há algum tempo”.

Mas questionado sobre se iria convocar eleições diretas, como Montenegro pediu, Rio pediu paciência. “Vou responder naturalmente, não vou fazer de conta que nada está a acontecer, isso era hipocrisia. Mas fui corredor de 100 metros quando tinha 22 anos, agora é meio fundo e fundo, com calma”, disse.

Luís Montenegro anunciou esta sexta-feira que está disponível para ser “de imediato” candidato à liderança do partido, desafiando Rui Rio a marcar eleições diretas já e a apresentar a sua própria candidatura. “Estou disponível para me candidatar de imediato à liderança do PSD convidando o dr. Rui Rio a marcar já diretas e a apresentar a sua própria candidatura”, acrescentou Montenegro, pedindo “coragem” e que Rio não se “refugiasse atrás de questões formais”, jurídicas e administrativas.

O encontro com Rui Rio surge também depois de Marcelo Rebelo de Sousa ter recusado comentar, esta quinta-feira, a situação interna do PSD, por não querer intrometer-se nas crises e na vida dos partidos. De acordo com a SIC Notícias, Rui Rio já chegou ao hotel do Porto, por volta das 19h10, não respondendo a qualquer questão colocada pelos jornalistas.

Também o primeiro-ministro, António Costa, escusou-se a comentar a candidatura de Luís Montenegro à liderança do PSD, por não pretender “tratar da vida interna dos outros partidos” e querer concentrar-se na “resolução dos problemas dos portugueses”. “Não vou tratar da vida interna dos outros partidos. Aquilo que me incumbe é concentrar-me na resolução dos problemas dos portugueses”, afirmou o chefe do Governo, em declarações aos jornalistas, no final da apresentação do projeto de financiamento do novo Hospital Central do Alentejo, em Évora.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rdinis@observador.pt
Política

A reconstrução da direita /premium

Luís Rosa
322

A refundação da direita alargará o leque de escolhas dos eleitores. Optar entre socialistas e social-democratas não é verdadeiramente uma opção porque são duas faces do mesmo disco do rotativismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)