Manuais Escolares

Manual escolar do 12.º ano censura versos em poema de Fernando Pessoa

5.632

Três versos do poema "Ode Triunfal", de Álvaro de Campos, foram retirados de um manual escolar de língua portuguesa do 12.º ano, da Porto Editora, usado em dezenas de escolas portugueses.

A icónica estátua de Fernando Pessoa no Chiado, em Lisboa

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Um manual escolar de língua portuguesa do 12.º ano publicado pela Porto Editora e aprovado pelo Ministério da Educação inclui uma versão censurada do poema “Ode Triunfal”, de Álvaro de Campos, noticia este domingo o jornal Expresso.

De acordo com o semanário, que mostra duas páginas do manual — intitulado “Encontros” e feito por Noémia Jorge, Cecília Aguiar e Miguel Magalhães, com revisão científica de Maria Antónia Coutinho —, o poema do heterónimo de Fernando Pessoa aparece com três versos cortados, substituídos por reticências.

Os versos em causa são: “Ó automóveis apinhados de pândegos e de putas” e “E cujas filhas aos oito anos — e eu acho isto belo e amo-o! — / Masturbam homens de aspecto decente nos vãos de escada”. O poema na íntegra pode ser lido aqui, no arquivo da obra de Fernando Pessoa.

Segundo o Expresso, este é um livro utilizado em várias dezenas de escolas por todo o país. A informação chegou precisamente de uma dessas escolas, onde os alunos escutaram uma gravação do poema na íntegra enquanto acompanhavam a leitura no manual e notaram os versos omissos no livro.

Contactados pelo Expresso, nem a Porto Editora nem o Ministério da Educação deram para já esclarecimentos. A editora disse àquele jornal que terá de confirmar a situação e contactar os autores, remetendo explicações para a próxima semana.

A poesia de Fernando Pessoa, incluindo os heterónimos, faz parte do programa de língua portuguesa do ensino secundário, cabendo ao professor a escolha dos poemas a estudar.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jfgomes@observador.pt
Governo

Nunca haverá impostos que cheguem /premium

Helena Garrido
398

Manuais escolares e descentralização, ou como o Estado vai aumentando a despesa pública. São medidas que trazem custos certos e benefícios incertos ou nulos. Com a descentralização podemos até piorar.

Educação

Estado-educador e Estado-cultura, em marcha?

Mário Pinto

Não existe uma educação para a cidadania única e institucional. Há várias concepções de cidadania, mesmo como concepções de vida democrática, pois há pluralismo social e cultural, ou moral e religioso

Civilização

A evidência é desprezada?

António Cruz Gomes

Ainda que nascidos transitórios – para viver no mundo, com o mundo e pelo mundo – fomos indelevelmente marcados por uma aspiração transcendental.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)