Numa imagem que há muito não se via, Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, assistiu ao clássico na mesma primeira fila do que o homólogo do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, ladeando cada um o líder da Liga, Pedro Proença. Ao longo da semana houve uma mensagem de pacificação antes do clássico, consubstanciada nessa presença de ambos na tribuna do Estádio Municipal de Braga; no entanto, e no final do encontro, o número 1 dos encarnados passou pela zona mista e teve uma declaração sem perguntas onde se mostrou bastante desagradado com a arbitragem, nomeadamente o VAR, Fábio Veríssimo.

O jogo do empurra onde o mais desequilibrado nunca caiu (a crónica do Benfica-FC Porto)

“O que se passou é algo que nos deixa bastante preocupados. Preocupados e de que maneira. Debaixo desta nuvem de fumo dos emails, do Mala Ciao e o que anda mais para aí, que muita gente já nos condenou na praça pública mas que o tribunal não nos vai condenar de certeza… Quando nós assistimos a um homem que está com câmaras de televisão à frente dele, que é árbitro e que não consegue distinguir se é fora de jogou ou não, se não consegue distinguir se há falta ou não no primeiro golo, esse homem não pode apitar mais!”, começou por referir o presidente das águias sobre o responsável pelo vídeo-árbitro esta noite.

“Quando, com uma televisão à frente, tem a lata de dizer ao árbitro para anular o primeiro golo do Benfica… Menos mal que depois o árbitro teve a coragem de o validar… Isto é algo que nos deixa cada vez mais preocupados. Um homem destes, com não sei quantas câmaras, não vê que não é fora de jogo nem consegue distinguir se há falta ou não no meio-campo. Hoje, na dúvida é fácil castigar o Benfica. Ainda hoje perdemos um administrador, o Rui Costa, que foi expulso. Já nos tiraram o Tiago Pinto, o Rui Costa e depois assistimos impávidos e serenos ao que é um banco de um lado e de outro. Da nossa parte qualquer pessoa que é expulsa é castigada severamente e assim vamos passando e distraindo uns com os outros”, acrescentou.

Luís Gonçalves e Rui Costa expulsos por protestos durante a primeira parte do Benfica-FC Porto

Ao mesmo tempo, Luís Filipe Vieira deixou ainda nota do que foi falado na reunião que teve com o presidente do Conselho de Arbitragem, José Fontelas Gomes, ao mesmo tempo que deu uma nota de alento para o futuro dos encarnados.

“Deixem-me comentar mais um caso curioso. Eu já fui ao Conselho de Arbitragem, tive a ousadia de dizer frontalmente ao seu presidente, José Gomes, que uma das culpas ou a principal culpa é deles porque basta ver o que se passou com a história dos emails, basta ver tudo o que se tem passado para vermos que determinados árbitros foram praticamente escorraçados da arbitragem, foram corridos da arbitragem. Nem sabemos o porquê. Hoje, eu sei e ele sabe que há árbitros que estão condicionados, árbitros e famílias que foram ameaçados. Sabem e não querem descobrir, não sei porquê. Alguma coisa se está a passar e começa a ser penalizador para nós, o que nos deixa preocupados e não podemos ter papas na língua”, disse.

Falta sobre Gabriel no 0-1? Mão de Seferovic no 1-1? Rafa fora de jogo no golo anulado? Os casos do clássico

“Ninguém nos vai vergar, hoje ficou demonstrado dentro de campo que a equipa que era para abater levantou-se novamente, foi para dentro de campo, deu show de bola nos primeiros 30 minutos e só não virou o resultado manifestamente por má sorte. Quero dizer os nossos adeptos o seguinte: acreditem! O nosso grande objetivo é a Europa e o Campeonato, se estivermos todos juntos e com esta prestação de uma equipa que vai subir ainda mais, e não são precisos reforços como muita gente anda aí a falar porque o valor está dentro desta casa… Os benfiquistas têm de perceber que temos um chapéu por cima de nós que é a bandeira do Benfica e quem não a respeitar, não deve pertencer à nossa família. Todos temos falhas mas neste caso o apoio ao Benfica está acima. Cada vez mais tenho orgulho em ser benfiquista, na obra que temos feito. Para quem nos quer destruir, fiquem cientes que vamos ser muito mais, vamos crescer muito mais e vamos ganhar muito mais”, concluiu.