Em Genebra, no primeiro salão automóvel do ano, a realizar a 5 de Março, será a vez de a Peugeot brilhar, revelando o novo 208. Mas para o certame de Frankfurt, em Setembro, será a ocasião da Opel, e do seu novo Corsa, mostrar o que valem. A nova geração do utilitário alemão será baseada na mesma plataforma que serve o novo 208 (e que também é usada pelo Citroën C3 e DS 3 Crossback), a Common Modular Platform (CMP), o que facilitou a concepção do modelo em menos de dois anos, desde que a PSA adquiriu a Opel à General Motors em 2017.

Paralelamente ao novo Corsa com motores de combustão (esperam-se várias versões do motor Puretech a gasolina, com três e quatro cilindros, não sendo evidente que surjam versões diesel), a Opel está a preparar uma versão 100% eléctrica, que se espera que inicie a comercialização no início de 2020. A plataforma utilizada no eCorsa é a versão da CMP preparada para transportar o pack de baterias, denominada eCMP (essencialmente sem túnel central para passar o tubo de escape, panelas e catalisador, de que obviamente não necessita). Esta eCMP é a mesma que serve de base ao e208 e ao DS 3 E-Tense, devendo igualmente dispor de baterias com a capacidade de 50 kWh e um motor de 136 cv, que fornece uma força de 260 Nm logo desde início, com autonomias entre 300 e 350 km.

Além do Corsa, a Opel prepara-se igualmente para introduzir em 2020 o novo Opel Mokka X, um SUV de dimensões próximas ao Crossland X, mas que deverá recorrer à plataforma CMP, ao contrário do Crossland X, que é montado sobre a PF1 que será descontinuada, ela que serve também o C3 Picasso e o Peugeot 2008. Dificilmente o novo Mokka X montará um sistema 4×4 convencional, com veio de transmissão, diferencial e semi-eixos posteriores, solução que não existe nesta gama da PSA, com a tracção integral a ser assegurada por uma solução híbrida plug-in, com um motor eléctrico montado sobre o eixo traseiro, similar à já apresentada para o 3008 Hybrid4. Mas este Mokka X vai também ter direito a uma versão 100% eléctrica, recorrendo à eCMP, prevendo eventualmente uma bateria maior para alimentar um segundo motor na traseira, uma vez que a principal diferença para o Crossland X é poder disponibilizar uma versão 4×4. O Mokka X deverá surgir ainda em 2020, tal como a sua versão eléctrica.