António da Silva Mendes, mais conhecido por “Pé Canhão” (por marcar muitos golos) morreu na quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019, aos 81 anos. O histórico jogador do futebol português representou o Benfica e o Vitória Sport Club (Vitória de Guimarães). O funeral, explica a nota do Vitória de Guimarães à imprensa, está marcado para sexta-feira, 1 de março, na Igreja de São Sebastião, em Lisboa.

Mendes começou a carreira no Benfica em 1955. Fez 44 jogos pelas águias, marcando 27 golos. Antes de deixar o clube, em 1962, conquistou a Primeira Liga por duas vezes consecutivas (1959/60 e 1960/61) e duas Taças de Portugal (1958/59 e 1961/62).

O “Pé Canhão” chegou ao Vitória Sport Club por troca direta com Pedras do Minho — jogador que ainda passaria pelo Sporting C.P. — acompanhado por outros dois atletas do Benfica (Peres e Fonseca). Em Guimarães não conquistou títulos, mas tornou-se no que o próprio clube considera “um dos melhores jogadores que a história do Vitória já terá conhecido”. Entrou em campo por 215 vezes para marcar 80 golos.

Pelo Vitória Sport Club chegaria a representar a seleção portuguesa, tornando-se no primeiro jogador do clube a internacionalizar-se por Portugal. Jogou apenas por uma vez, em pleno Estádio Nacional, numa derrota por 2-1 frente à Suécia, a contar para apuramento para o Europeu de 1968.

Antes de abandonar o futebol, em 1971, ajudaria o Vitória de Guimarães a atingir a, então, melhor qualificação de sempre no campeonato nacional — um terceiro lugar, em 1968/69 — e a primeira participação numa competição europeia — na Inter-Cities Fairs Cup de 1969/70.