Rádio Observador

Segurança

Segurança rodoviária “crucifica” Cristiano Ronaldo

153

Cristiano Ronaldo, a estrela portuguesa da bola que brilha no Juventus, está de novo a ser alvo de críticas. Desta vez dos defensores da segurança rodoviária inglesa. Motivo? Uma série de disparates.

Considerado um dos melhores jogadores de futebol do mundo de sempre, o português Cristiano Ronaldo tem uma série interminável de fãs, que o seguem com afinco através das redes sociais. Mas não lhe falta também um grupo de haters, menos numeroso, que não lhe perdoam o mínimo descuido. E quando esse deslize não existe, não há problema pois eles mesmo criam um.

De acordo com o Daily Mail, os responsáveis britânicos pelas campanhas por uma maior segurança rodoviária criticaram Cristiano Ronaldo, e a sua família, por o jogador ter, segundo eles, um comportamento condenável ao volante. Afirmam que, como celebridade que é, com 161 milhões de seguidores só através do Instagram, o português é um exemplo para uma série de fãs por esse mundo fora e, logo, deve exibir uma postura irrepreensível e responsável.

Mas, afinal, quais foram os erros alegadamente cometidos ao volante pelo jogador que já exibiu os seus dotes no Manchester United, Real Madrid e agora o Juventus? Segundo estes “especialistas” em segurança rodoviária, Ronaldo estaria a dar um mau exemplo quando, num passeio em família no seu novo Rolls-Royce Cullinan, decidiu estar bem-disposto e até divertido, em companhia de um dos seus filhos e da mulher, a espanhola Georgina Rodriguez. Para contextualizar, a sua equipa tinha acabado de vencer o eterno rival Milan e ele tinha sido dado como recuperado da lesão que o afastou dos relvados.

View this post on Instagram

Cantores ????????????????????

A post shared by Cristiano Ronaldo (@cristiano) on

E, como estavam todos visivelmente contentes, cantarolavam uma música dos Korgis que “estava a dar” em 1980, a Everybody’s Got to Learn Sometime. Apesar de estar bem sentado e com o cinto de segurança, a circular a uma velocidade reduzida (como é possível constatar através do vidro), o homem do Juventus não conseguiu evitar as críticas por, com uma das mãos, estar curtir a música simulando tocar piano no ar. Isto e por ocasionalmente, por segundos, olhar para a câmara que o estava a filmar, muito provavelmente o telefone de Georgina.

Não é ilegal, nem será considerado um mau exemplo, usar uma das mãos para coçar a cabeça, enquanto se está a conduzir. Ou ajeitar os óculos, ou tapar a boca enquanto se boceja, ou pegar no cigarro ou mudar o posto do rádio. Mas, para os especialistas britânicos em segurança rodoviária, parece que o facto de o jogador português agitar os dedos de uma mão como se tivesse a tocar piano é altamente irresponsável. E também o olhar para a câmara durante um a dois segundos é severamente criticado, pese embora um condutor normal dedique habitualmente mais tempo e mais atenção a, por exemplo, consultar o sistema de navegação (cujo ecrã está em posição ainda mais baixa do que a câmara).

Cristianinho passou incólume às críticas, dado que o filho de CR7 ia lá atrás – a remexer-se como todos os que não estão doentes ou a dormir –, mas devidamente sujeitado pelo cinto, enquanto dava provas de curtir hip-hop e o Sicko Mode, de Travis Scott.

Já Georgina, por não ser evidente que tivesse posto o cinto de segurança – apesar de tão pouco ser claro que não estaria apenas a aliviar a pressão do cinto para se deslocar, momentaneamente, um pouco mais para o centro – foi também ‘crucificada’ por não ser um modelo a seguir, quando ocupa o banco do lado.

É certo que não faltam por aí os condutores que assumem um comportamento ao volante criticável e até, por vezes, criminoso. E esses devem ser punidos, sempre que infringem a lei. Mas desde quando uma família que parece estar feliz e divertida, todos devidamente sentados e com cinto, é um mau exemplo? Será porque estes “especialistas” em segurança rodoviária não gostam dos Korgis ou do Travis Scott? O Cullinan parece-lhes demasiado grande? E que tal se os homens da segurança se preocupassem apenas com isso: a segurança?

Recomendador: descubra o seu carro ideal

Não percebe nada de carros, ou quer alargar os horizontes? Com uma mão-cheia de perguntas simples, ajudamo-lo a encontrar o seu carro novo ideal.

Recomendador: descubra o seu carro idealExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)