Pelo menos 17 combatentes leais ao regime sírio foram mortos e dezenas ficaram feridos no sábado, durante ataques de grupos extremistas islâmicos na província de Aleppo, norte da Síria, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Os grupos “Hayat Tahrir al-Sham e Hurras al Din atacaram posições das forças do regime no sul e no sudoeste” da província de Aleppo, disse à agência de notícias France-Presse o diretor daquela organização não-governamental (ONG) sediada em Londres.

Rami Abdel Rahman acrescentou que 30 combatentes pró-regime também foram feridos.

Há um mês, pelo menos 22 civis, incluindo oito crianças, foram mortos em ataques realizados pelo regime sírio em zonas controladas pelas forças insurgentes no norte do país, segundo a mesma ONG.

Desencadeado em março de 2011 pela violenta repressão do regime do Presidente sírio, Bashar al-Assad, o conflito na Síria levou ao envolvimento de países estrangeiros e de grupos extremistas, e originou várias frentes de combate.

Num território bastante fragmentado, o conflito civil na Síria provocou, desde 2011, mais de 370 mil mortos, incluindo mais de 100 mil civis, e milhões de deslocados e refugiados.