Rádio Observador

Estados Unidos da América

Trump espera acordo comercial entre os EUA e a China

Donald Trump encontra-se no Japão e disse numa conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe que espera um acordo comercial com Pequim.

Trump e Melania a chegar ao Japão

KOJI SASAHARA / POOL/EPA

O presidente dos Estados Unidos mostrou-se otimista quanto à assinatura “em breve” de um acordo comercial com a República Popular da China, apesar do impasse negocial entre os dois países.

Donald Trump encontra-se no Japão e disse numa conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe que espera um acordo comercial com Pequim.

“Eu penso que, a qualquer momento, a China e os Estados Unidos vão concluir um acordo comercial formidável. Aguardamos esse momento com entusiasmo”, disse o presidente dos Estados Unidos.

Questionado pelos jornalistas sobre os temas da atualidade, Trump afirmou que os Estados Unidos não procuraram uma “mudança de regime” no Irão.

A declaração do chefe de Estado norte-americano ocorre numa altura em que se agravam as relações entre Washington e Teerão.

“Nós não estamos à procura de uma mudança de regime no Irão, o que nós queremos é o desaparecimento das armas nucleares”, disse Trump numa altura em que os Estados Unidos projetam forças militares na região do Golfo Pérsico.

Mesmo assim, Trump disse que estima poder alcançar um acordo com Teerão.

Na mesma conferência de imprensa que decorreu em Tóquio, o presidente dos Estados Unidos referiu-se à Coreia do Norte considerando o líder Kim Jong-un um “homem muito inteligente” consciente da necessidade de renunciar às armas nucleares para que o país se possa desenvolver.

“Ele sabe que com o nuclear apenas coisas más podem acontecer. É um homem muito inteligente e compreende isto muito bem”, afirmou Trump acrescentando que a Coreia do Norte tem um potencial económico que classificou como “fenomenal”.

Sobre a mesma questão, o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, disse que tem “apoio total” do presidente dos Estados Unidos para se encontrar com o dirigente norte-coreano Kim Jong-un.

“Eu sinto que tenho de me encontrar com o presidente Kim, sem pré-condições e que é necessário trocar pontos de vista (…) o presidente Trump disse-me que concorda e que me apoia”, disse Shinzo Abe na conferência de imprensa esta segunda-feira em Tóquio.

O presidente dos Estados Unidos foi o primeiro governante estrangeiro a ser recebido em audiência pelo novo imperador do Japão, Naruhito, no trono desde 01 de maio, dia em que o pai abdicou formalmente.

Trump está no Japão desde sábado onde cumpre um programa oficial que se vai prolongar até terça-feira.

Além do encontro com o novo imperador que se prolongou durante meia hora, o presidente dos Estados Unidos já realizou uma série de reuniões com o primeiro-ministro Shinzo Abe.

Entretanto, Trump anunciou que os Estados Unidos vão vender 105 aviões de combate norte-americanos F-35.

“Os Estados Unidos apoiam os esforços do Japão na melhoria das capacidades de defesa e nos últimos meses enviamos (para o Japão) uma grande quantidade de equipamentos militares”, disse Donald Trump.

Pela primeira vez em 2011, Tóquio mostrou a intenção de adquirir 42 aviões F-35, sendo que vai agora comprar 105 aparelhos, tornando-se o primeiro cliente internacional do avião de combate “de quinta geração”.

Apesar da compra dos aparelhos militares, Trump lamentou o “desequilíbrio” da balança comercial entre os dois países.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)