Já lá vai o tempo em que os arraiais de Santo António eram todos iguais — um órgão, um manjerico, cheiro a sardinha e um comboínho a surgir a certa altura da noite. Hoje, Lisboa é uma cidade mais eclética e, por muito que amemos a festa antonina clássica, não gostamos menos de olhar para a diversidade que existe, mesmo que uma ementa de Santo António vegana esteja absolutamente fora de questão.

Até dentro das opções mais tradicionais há escolhas a fazer. Com o centro histórico da cidade a abarrotar de vida (vida a mais, portanto), os arraiais periféricos ganharam outro relevo. Olivais, Encarnação, Marvila, Carnide e Benfica estão em festa e não estão a ser, propriamente, bairros brandos. Mesmo mais perto do centro, multiplicam-se os ajuntamentos de ambiente familiar. Lá está, há festa para todos os gostos. Pelo menos, os pesos pesados da quadra estão lá todos, de Quim Barreiros a Ruth Marlene.

Depois, há aquela espécie de arraial onde o pimba não entra, as sardinhas são uma iguaria a reconsiderar e chouriço assado nem vê-lo. Entram em cena os tatuadores, os DJ sets, os cartazes de festival e as músicas do mundo. Lisboa tem, este ano, um palco montado em cima do rio, bailes ao som de jazz e húmus servido numa fatia de pão. Não há razão para alarmes. A Lisboa antiga continua lá.

Vila Berta

Vila Berta (Graça). De 1 a 13 de junho (só encerra dia 6)

É um dos arraiais mais concorridos de Lisboa e assinala dez anos de existência. Durante quase duas semanas, a Vila Berta volta a encher-se de vida (e de cheiro a sardinha assada). Haverá noites animadas por DJs, fado, música pimba e serões reservados unicamente aos petiscos. Para a tarde de dia 10 de junho está marcado um arraial para os mais pequenos.

Academia de Santo Amaro

Rua Academia Recreativa de Santo Amaro, 9 (Alcântara). Dias 1, 7, 8, 9, 12, 13, 14, 15, 19, 21, 22, 28, 29 e 30 de junho

No campeonato dos pequenos arraiais, ideias para famílias, este é uma opção a ter em conta. Decorado a rigor, o logradouro circundante à coletividade é dos mais concorridos por estes dias. Não falta a ementa do costume, à base de sardinha assada, chouriço e caldo verde.

Associação Recreativa de Moradores e Amigos do Bairro da Boavista

Rua das Azáleas, Bairro da Boavista (Benfica). Dias 1, 8, 9, 12, 13, 15, 19, 22 e 29 de junho

No Bairro da Boavista, é festa garantida. Como o próprio nome da associação indica, a festa não é só para moradores. Todos os amigos são bem-vindos e, afinal, há lá melhor altura do ano para se fomentar a amizade.

Santos à Campolide

Quinta do Zé Pinto, Rua de Campolide. Dias 31 de maio e 1, 2, 5, 6, 7, 8, 9, 12, 13, 14, 15 e 16 de junho

É o chamado Santo António cheio de estrelas e começa logo no dia 31 de maio, com Iran Costa, o homem do bicho. O cartaz prossegue e as sextas-feiras são sempre os dias fortes. Nas duas seguintes, há concertos de Rosinha e Quim Barreiros. No dia 12 de junho, a grande noite, o palco fica por conta de Ruth Marlene. A organização é da Junta de Freguesia de Campolide.

Santos em Santos

Jardim de Santos. De 29 de maio a 29 de junho

Para quê organizar um arraial, se pode espalhar a festa por seis pontos da freguesia. Na Estrela, é esta a linha de pensamento. O palco principal dos Santos Populares volta a estar instalado no Jardim de Santos, onde os cabeças de cartaz são Quim Barreiros (8) e Toy (15). Mas não é tudo. As celebrações estendem-se à Rua Vicente Borga, no coração da Madragoa, ao Largo Vitorino Damásio, ao Largo Dr. José Figueiredo, à Praça da Armada e ao Largo do Chafariz da Esperança. Um autêntico seis em um, perfeito para uma gincana de Santo António.

Arraial de Santo António

Praça da Alegria. De 31 de maio a 16 de junho (exceto dias 11 e 13)

Mais do que grandes noitadas, este é aquele arraial onde pode passar para beber um copo ou dois, depois do trabalho. Há bebidas, petiscos e até fado. O programa começa durante a tarde e segue até às 22h. Em alguns dias, vai até à meia-noite.

© Sara Matos/Global Imagens

São Francisco Xavier

Adro da Igreja Paroquial (Restelo). Dias 31 de maio e 1 de junho

Cumpre-se a tradição, até no Restelo. O Arraial de São Francisco Xavier acontece já no primeiro fim de semana de junho, mas nada de grandes loucuras — pelo menos, nada além de bifanas, sardinhas, rifas e manjericos. Acontece mesmo ao lado da igreja e termina por volta da meia-noite.

Arraial da Família

Praça de Damão (Restelo). Dia 29 de junho

Para alguns moradores do bairro, é o último arraial do ano. O Movimento de Schoenstatt organiza a 24ª edição do Arraial da Família, que continua a ter o objetivo não só de divertir as famílias, mas de angariar fundos para este movimento religioso. Tem entrada paga: 2,5 euros para os adultos e 1 euro para crianças até 10 anos.

Bairro Padre Cruz

Junto ao Auditório Natália Correia (Carnide). Dias 1, 2, 7, 8, 9, 12, 13, 14, 15, 16, 19, 20, 21, 22, 23, 28, 29 e 30 de junho

Um mês, 18 dias de festa no bairro. Vão os moradores e os galhofeiros que se queiram juntar. O arraial é organizado pela Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas do Bairro Padre Cruz, logo, tem tudo para ser ambiente familiar.

Carnide Clube

Largo do Coreto (Carnide). Dias 1, 7, 8, 9, 12, 13, 14, 15, 19, 20, 21, 22, 28 e 29 de junho

Com as enchentes no centro da cidade, pelo menos na noite de 12 para 13 de junho, os arraiais periféricos têm sido escolhas recorrentes por parte dos lisboetas. E este é de alta categoria. Com um coreto decorado ao centro, o largo principal de Carnide enche-se de mesas, pares dançantes, enfeites e grinaldas de luzes.

“Os Combatentes”

Rua do Possolo (Estrela). Dias 1, 7, 8, 9, 12, 13, 14, 15, 19, 21, 22, 28 e 29 de junho

Paredes meias com Campo de Ourique, eis um arraial muito cobiçado por famílias numerosas, quiçá com carrinhos de bebé, quiçá até com labradores de pelo lustroso. É um arraial pacato por natureza.

Arraial do C.A.C.O.

Largo Dr. António Viana (Campo de Ourique). De 9 a 12 e de 20 a 22 de junho

O Clube Atlético de Campo de Ourique também já está em preparativos. Um arraial outrora secreto, mas que já conquistou aficionados de outros bairros de Lisboa.

Santos de Santa

Calçada do Combro (junto à Igreja de Santa Catarina). Dias 1, 2, 5, 6, 7, 8, 9, 12, 13, 14, 15, 16, 19, 20, 21, 22, 23, 26, 27, 28, 29 e 30 de junho

Será das mesas corridas, por estar escondido atrás das fachadas da Calçada do Combro ou porque a banda de serviço, a partir de certa hora, decide ignorar o cancioneiro popular português e alimentar os foliões com êxitos rock? O certo é que o arraial de Santa Catarina está entre os favoritos para jantar e ficar a dar um passinho de dança.

Grupo Desportivo Zip Zip

Largo de Santo Antoninho (Bica). Dias 1, 2, 5, 6, 7, 8, 9, 12, 13, 14, 15, 16, 19, 20, 21, 22, 23, 26, 27, 28, 29 e 30 de junho

À medida que se desce a Bica, o índice de concentração humana aumenta. Não interessa, o mar de gente do Largo de Santo Antoninho é uma das melhores vistas dos santos populares em Lisboa, além da seleção musical que costuma ser irrepreensível.Quem quiser antecipar-se pode sempre reservar mesa num restaurante do bairro.

Marítimo Lisboa Clube

Calçada da Bica Grande (Bica). Dias 1, 2, 5, 6, 7, 8, 9, 12, 13, 14, 15, 16, 19, 20, 21, 22, 23, 26, 27,28, 29 e 30 de junho

Na rua ao lado, o cenário é idêntico, porém o engarrafamento de gente pode ser violento para os menos experimentados. É preciso atitude para furar, paciência para conseguir esperar por uma cerveja e destreza e reflexos para dançar o “Pai da Criança” numa rua cheia de degraus.

Arraial de Santo António nos Anjos

Avenida Almirante Reis, 38 (Anjos). Dia 8 de junho

Mais um agrupamento de escuteiros, mais um arraial. Este acontece na Associação Pro-Infância Santo António de Lisboa e é aconselhado para toda a família. A organização promete comes e bebes, claro, e a banda sonora da praxe.

Clube Atlético de Arroios

Rua de Arroios. Dias 7, 8, 9 e 12 de junho

Há motivos e motivos para se cortar o trânsito de uma rua em Lisboa e uma arraial de Santo António é daqueles que vale mesmo a pena. A tradição cumpre-se na Rua de Arroios, por baixo da ponte que dá seguimento à Rua Pascoal de Melo. Além da grelha bem acesa e da torneira de cerveja sempre aberta, há música garantida até às duas da manhã durante estes quatro dias.

© PATRÍCIA AMARAL/OBSERVADOR

Arraial Popular do Areeiro

Rua Lucinda do Carmo e Alameda D. Afonso Henriques. Dias 21 e 22 de junho

Tal como no ano passado, a Junta de Freguesia do Areeiro espera que a febre de 12 de junho passe para animar as ruas do bairro. No primeiro dia de festa, o arraial é montado na Rua Lucinda do Carmo, no Bairro dos Atores, para no dia seguinte ir até à Alameda. São dois dias de festa.

Encarnação

Rua Quinta de Santa Maria (Encarnação). Dias 1, 7, 8, 9, 12, 13, 14,15, 19, 21, 22, 28 e 29 de junho

Os arraiais estão montados mesmo nas zonas mais recônditas da cidade. Em muitos bairros, são os grupos desportivos os grandes responsáveis por organizar a festa. Aqui, não é exceção. O arraial dura o mês inteiro e é cortesia da Associação Desportiva e Cultura da Encarnação e Olivais.

O Pobrezinho

Rua do Chibuto (Olivais). Dias 1, 7, 8, 9, 12, 13, 14, 15, 19, 21, 22, 28 e 29 de junho

De pobrezinho este grupo musical dos Olivais não tem nada. O espaço para o arraial é amplo, decorado a rigor e há mesmo quem se desloque de outros pontos da cidade para celebrar o Santo António na parte oriental da cidade.

Ingleses Futebol Clube

Rua Cândido de Oliveira (Olivais). Dias 1, 7, 8, 9, 12, 13, 14, 15, 19, 21, 22, 28 e 29 de junho

Mais um grupo desportivo, mais um ponto de festa. Em calhando, pode intervalar ou aproveitar a caminhada entre arraiais para processar os excessos.

Arraial dos Navegantes

Igreja Nossa Senhora dos Navegantes (Parque das Nações). De 31 de maio a 2 de junho

Atenção, este arraial é feito a pensar em famílias e não propriamente naqueles foliões que querem levar a noite até à manhã seguinte. Com um espaço preparado para crianças, com direito a animação infantil e tudo, o Arraial dos Navegantes também decidiu cortar no plástico, eliminando os pratos, talheres e taças feitos deste material. A banda sonora inclui música popular portuguesa, mas também jazz. É mesmo um arraial especial.

Arraial do Marquês

Largo da Paz (Ajuda). De 13 a 15 de junho

É um daqueles arraiais que pode não impressionar pela dimensão, mas que proporciona uma noite bem mais tranquila a quem só quer escangalhar uma sardinha em cima de uma fatia de pão, alimentar-se e voltar cedo para casa.

Arraial da Centieira

Rua da Centieira/Avenida de Pádua (Olivais). Dias 1, 8, 9, 12, 13, 15, 19, 22 e 29 de junho

Paredes meias com o bairro, mas já com um pé no Parque das Nações, o Grupo Recreativo Centieirense monta a festa a partir das 20h. Além da música ao vivo — queira Deus que seja um órgão –, há sardinha, chouriço, caldo verde, bifanas e, imagine-se, couratos. Bom apetite.

São Vicente

Calçada dos Barbadinhos, 49. Dias 1, 8, 9, 12, 13, 15, 19, 22 e 29 de junho

Tem tudo para ser um daqueles segredos bem guardados, porém prestes a virar destino de peregrinação. Pode não ser o único arraial da Calçada dos Barbadinhos, mas é o maior. Servem-se jantares e os pratos são como manda a tradição, além da música ao vivo a puxar a dança. A organização é do Centro de Cultura Popular de Santa Engrácia.

Escuteiros de Santa Engrácia

Calçada dos Barbadinhos, 36A. Dias 8, 9, 12 e 15 de junho

Pode sempre atravessar a rua e experimentar o que os escuteiros do bairro prepararam. Aqui, o arraial dura menos dias, mas também se aceitam reservas.

Graça

Largo da Graça. De 6 a 16 de junho

Este arraial dispensa apresentações, tal como o sítio onde, ano após ano, este palco é montado. O Largo da Graça começa a dar música a Lisboa dentro de uma semana e não abranda nos dez dias seguintes. Divulgar o cartaz para quê? A festa faz-se de qualquer maneira.

A Voz do Operário

Rua da Voz do Operário, 9. Dias 1, 8, 9, 12, 13, 14, 15, 19, 20, 21, 22, 26, 27 e 28 de junho

A Voz do Operário e a sua vasta experiência na organização de arraiais voltam a estar ao serviço de lisboetas e visitantes. Das bifanas às sardinhas, do caldo verde aos caracóis, este arraial serve sobretudo para forrar o estômago. Há noites em que é preciso.

© José Frade

Alfama

Largo do Salvador (Alfama). Dias 1, 7, 8, 9, 12, 13, 14, 15, 16 19, 22 e 29 de junho

Em Alfama, é difícil perceber onde começa um arraial e começa outro. Isto para dizer que, durante o mês de junho, todo o bairro é uma festa pegada. Tirando as dificuldades de locomoção geradas pela enchente, é perfeito para uma gincana antonina.

Grupo Sportivo Adicense

Calçada da Figueira e Rua Norberto Araújo (Alfama). Dias 1, 6, 7, 8, 9, 12, 13, 14, 15, 16, 19, 21, 22, 23, 28, 29 e 30 de junho

Com mais dias de festa, o Grupo Sportivo Adicense só aumenta a oferta. Quem não chegar ao segundo arraial não se preocupe. Alfama não foge.

Sociedade Boa União

Beco das Cruzes (Alfama). Dias 1, 2, 5, 6, 7, 8, 9, 12, 13, 14, 15,16, 19, 20, 21, 22, 23, 26, 27, 28, 29 e 30 de junho

São 22 dias de festa, o equivalente às férias a que um trabalhador tem direito por ano. É provável que, em Alfama, ainda haja mais arraiais a registar. Mas não serão, de certeza difíceis de encontrar.

© Gonçalo Villaverde

Grupo Desportivo da Mouraria

Largo da Severa, Rua da Guia, Rua Marquês de Ponte de Lima, Largo do Terreirinho, Rua do Capelão e Rua João do Outeiro (Mouraria). Dias 1, 7, 8, 9, 12, 13, 14, 15, 19, 21, 22, 28 e 29 de junho

A Mouraria, outro epicentro dos santos populares. Mais uma vez, quando um bairro, só por si, é um arraial, é escusado dar coordenadas. Perca-se, coma e dance, não necessariamente por esta ordem.

A Minha Penha é Linda

Mercado de Sapadores, Avenida General Roçadas, 3. Dias 7, 8, 9 e 12 de junho

Perfeito para aquecer antes de seguir para outras festas, o arraial de Santo António está de volta ao Mercado de Sapadores. Organizado pelos Escuteiros da Penha de França, tem início marcado para as 18h e vai até às 23h.

Arraial Popular da Paróquia de Olivais Sul

Jardins da Biblioteca dos Olivais, Palácio do Contador-Mor. Dias 28 e 29 de junho

Não é pelo facto de a organização ser paroquial que este organização está menos propenso à farra de junho. Este arraial de duas noites distingue-se pela causa solidária — haverá uma angariação de fundos destinados às obras do Centro Social e Paroquial.

Arraial do Calhariz de Benfica

Rua da Vila de São Martinho (junto à Estação de Benfica). Dias 15 e 16 de junho

É o verdadeiro arraial eclético. Além de música popular portuguesa, o alinhamento deste fim de semana inclui cantares do Minho, cante alentejano e kizomba. Viva à diversidade musical. A organização está a cargo da Associação de Moradores do Bairro do Calhariz de Benfica.

Arraial +55

Quinta da Alfarrobeira, Rua António Saúde, 18C (São Domingos de Benfica). Dia 19 de junho

Dias depois, os jardins da Quinta da Alfarrobeira começam logo a acender as brasas. Das sardinhas aos manjericos, o Arraial +55, organizado pela Junta de Freguesia de São Domingos de Benfica, serve os pratos principais do Santo António a partir das 13h. O evento requer inscrição prévia na junta, com um custo de 3 euros.

Bairro do Charquinho

Estrada do Poço do Chão, 9A (Benfica). Dias 7, 8, 9 e 12 de junho

A ABC, que é como quem diz a Associação de Moradores do Bairro do Charquinho cumpre a tradição do arraial de Santo António, organizado pelos mais apegados ao bairro. No primeiro dia, a festa recebe o saudoso Alex, mais conhecido por Mister Gay. Não faltarão comes e bebes à altura.

São João de Brito

Largo Frei Heitor Pinto, 8 (Alvalade). Dia 28 de junho

A dose repete-se a poucos metros de distância, junto à igreja de Alvalade. O Centro Paroquial São João de Brito organiza o seu arraial anual. Há bifanas, sardinhas e caldo verde, numa proposta de festa bem mais pacata, à medida das famílias.

Revenge of the 90’s

Campo Pequeno. De 7 a 13 de junho

Depois de montar a festa no Terminal de Cruzeiros de Lisboa, o Revenge of the 90’s monta o arraial no Campo Pequeno. Até dia 13 de junho, vão passar pela praça lisboeta nomes como Micaela e Hélder, o rei do kuduro. A entrada é livre.

Arraial Composto

Largo da Rosa (Mouraria). Dias 31 de maio e 1, 7, 8, 9, 12, 14, 15, 19, 21, 22, 28 e 29 de junho

O mote é: “Ainda queremos ter planeta em agosto?”. A associação Renovar a Mouraria organiza o arraial mais sustentável da cidade. Como? Reduzindo e reutilizando. Os concertos estão marcados para as 20h.

Santos Independentes

Largo do Intendente. Dia 12 de junho

Até no roteiro lisboeta de festejos alternativos já há lugar para tradições. Uma delas é a noite de 12 de junho na Casa Independente. Os Santos Independentes estão de volta, independentes da tradicional ementa — na grelha vão preparar-se iguarias menos usuais — e do pimba replicado um pouco por toda a cidade. A festa divide-se entre o pátio da casa e o salão. União e Capricho, a dupla de DJs da casa, arranca com as celebrações, imediatamente antes de Glitch Baile se afirmar como o prato forte da noite. A festa dura até às quatro da manhã.

O Terraço Lindo

Terraço 23, Rua Câmara Pestana, 23. Dias 9 e 10 de junho

É a terceira vez que o Terraço 23 organiza um arraial de Santo António, mas a primeira que foge à tradição de celebrar o santo no dia 12 de junho. Desta vez, o esquema é outro. As festividades começam no domingo, dia 9 de junho, até à uma da manhã, e chegam ao Dia de Portugal, com uma manité para toda a família, da hora de almoço até às 21h. Na ementa, às iguarias tradicionais juntam-se elementos de uma arraial posh — há ostras e caracóis, sardinhas e porco no espeto, cerveja, sangria e, claro, gin tónico. A entrada tem um custo de 10 euros consumíveis.

Santos Pecadores

Centro de Inovação da Mouraria, Pátio dos Lagares. Dia 12 de junho

Mais um arraial de Santo António, no mínimo, diferente. Em alternativa ao pimba, esta festa da Mouraria rende-se aos ritmos ancestrais sul-americanos e ao estilo afro eletrónico. O baile, já se sabe, é com vista para o Castelo.

Romaria de Santo Amaro

Junto à Capela de Santo Amaro (Alcântara). De 25 a 30 de junho

O cartaz tem estado a ser divulgado a conta gotas. A Junta de Freguesia de Alcântara não poupa esforços na hora de celebrar o Santo António e, embora arranque com os festejos já depois da data, já confirmou a presença de Toy (25), Quim Barreiros (26) e Ruth Marlene (27) para animar as hostes em mais uma romaria.

Arraial Moderno

Village Underground, Avenida da Índia (Alcântara). Dia 12 de junho

Da música popular portuguesa às sonoridades do Médio-Oriente, passando pelos ritmos latinos e africanos, o Arraial Moderno do Village Underground faz jus ao nome. Esta festa vai juntar Paulo Cunha Martins, Pedro Paulos, Tomás Wallenstein, Thomas Oulman, PZ, Jibóia, Cumbadélica e Funkamente. Alternativo? Ligeiramente. Se há tempo para tudo? Sem dúvida, até porque este arraial estica até às seis da manhã. A entrada é livre, com consumo mínimo de 10 euros a partir das 23h.

Arraial Lisboa Pride

Praça do Comércio. Dia 22 de junho

Venham daí todas as cores para um dos momentos altos do mês. A festa dedicada à comunidade LGBTI arranca a meio da tarde e estende-se até às quatro da manhã. Entre os nomes em cartaz estão Cumbadélia, Da Chick DJ Set, Johnny Hooker e Batida DJ.

© PATRÍCIA AMARAL/OBSERVADOR

Anjos Populares

Anjos 70, Regueirão dos Anjos, 70. Dias 12 e 13 de junho

São dois dias de música, comes e bebes e tatuagens. Sim, tatuagens, afinal os santos populares já se comemoram de todas as formas e mais algumas. Santa Jam 70 e Paulo Cunha Martins animam a primeira noite. Pedrinho Xale, Rita Só, Beija Flor, Muri Muri, DJ Adam, Victoria Pardell e Co$tanza encarregam-se do dia 13, com a festa a começar pelas 15h e a ir até à meia-noite.

Santo António de Alvalade

Parque de Jogos 1º de Maio, Rua Silva e Albuquerque. De 7 a 16 de junho

Mais um arraial diferente, mais uma festa que cruza a tradição popular lisboeta com a dinâmica de um festival de verão. Se há lugar para música pimba? Haverá, certamente. Mas também há uma noite dedicada ao flamenco (13), uma festa para os mais pequenos com o Avô Cantigas (10), jazz (11), fado (16) e um concerto dos GNR logo na noite de abertura.

Grande Arraial de Benfica

Alameda Álvaro Proença. De 20 a 23 de junho

Não é propriamente o mais tradicional dos arraiais, mas dá para dançar. No primeiro dia, há sessão dupla, com Ruth Marlene e Toy. Mas, nos dias seguintes, a música popular portuguesa dá lugar a outros ritmos — Bárbara Bandeira atua no dia 21, Cuca Roseta leva o fado a Benfica no dia 22 e, no dia 23 de junho, os HMB fecham esta espécie de arraial moderno, cortesia da Junta de Freguesia de Benfica.

Santos Veganos

Beco do Jasmim, 18 (Mouraria). Dia 12 de junho

Os Santos Populares são assim, democráticos. Portanto, cada um come o que quer. Os Santos Veganos estão de volta e são a alternativa do restaurante The Food Temple à habitual grelha da quadra. A comida é vegana, num menu composto pelas especialidades da casa, mas também há cerveja artesanal e sangria caseira para ajudar a trazer a alegria ao de cima. Também na música, este santo é muito à frente — recuperam-se ritmos da América Latina para dançar até mais não. Começa ao fim da tarde e vai até às quatro da manhã.

Santos P’ra Pulares

Terminal de Cruzeiros de Lisboa. De 30 de maio a 2 de junho

Durante o dia, uma regata, à noite, um arraial flutuante. A 2ª edição da Regata de Portugal aliou-se aos organizadores das festas Revenge of the 90s, num fim de semana de música e festa. No palco, instalado sobre as águas do Tejo, vão atuar artistas como Iran Costa (30), Ágata (31) e Mónica Sintra (1). Vítor Sobral ficará encarregue da ementa e haverá ainda uma roda gigante e um mercado de moda, só para satisfazer aquele impulso consumista.

Baião das 5. Especial São João

Anjos 70, Regueirão dos Anjos, 70. Dia 23 de junho

É verdade, nem toda a gente está assim tão desejosa de comemorar o Santo António. Há mesmo quem se esteja a aguardar para o São João, mesmo que os ritmos não sejam os mais portugueses. Afinal, do outro lado do Atlântico a Festa Junina move multidões. Do forró mais tradicional às iguarias da quadra, passando por aulas de forró e de samba de gafieira, a festa começa às 18h e vai até à meia-noite. A entrada é 5 euros para quem chegar até às 19h30. A partir daí custa 7 euros.

Arraial Independente

Comida Independente, Rua Cais do Tojo, 28 (Cais do Sodré). De 7 a 12 de junho

Comedores de carne, aproximai-vos. A estrela deste arraial não é a sardinha, mas sim um porco preto no espeto que deverá começar a alimentar os convidados ao final da tarde. A festa segue até á meia noite, isto no dia 12 de junho. A partir de 7, a Comida Independente já começa a cheirar santos populares. A grelha fica montada na esplanada com petiscos sempre a sair.

Artigo atualizado no dia 9 de junho, quinta-feira, às 13h20, com novos arraiais