A Startup Lisboa, entidade que gere o Hub Criativo do Beato (HBC), iniciou esta terça-feira o processo de seleção para encontrar o melhor projeto destinado à sua área de alojamento residencial partilhado (coliving). Os interessados deverão avisar a incubadora até 30 de junho e enviar as suas propostas até 8 de setembro, informou a Startup Lisboa em comunicado.

O espaço onde o projeto de habitação partilhada vai ser aplicado localiza-se na antiga Fábrica da Manutenção Militar, com uma área de cerca de 4.200 metros quadrados, e é designado por Edifício do Relógio/Antigo Convento. A habitação será para utilização temporária de curta ou média duração e não será utilizada nem para fins turísticos nem como alojamento local. O objetivo é que o projeto eleito esteja a funcionar até ao final de 2020.

O espaço onde o projeto de habitação partilhada vai ser aplicado localiza-se na antiga Fábrica da Manutenção Militar, com uma área de cerca de 4.200 metros quadrados

As propostas que a Startup Lisboa está à procura podem incluir “unidades de alojamento com tipologias diferentes e áreas com as características e equipamentos necessários à utilização comuns dos residentes, bem como a prestação de serviços acessórios ou conexos para apoio de uma comunidade de inovação e criatividade”, explicou a nota enviada pela incubadora portuguesa.

O concurso para esta área de coliving está dividido em duas fases: após o período de entrega das propostas é feita uma primeira avaliação das candidaturas, tendo por base os critérios de escolha como a qualidade do projeto, o preço ao cliente, a valorização do património e o perfil dos promotores. De seguida, as melhores propostas terão de fazer uma apresentação presencial a um júri e o vencedor passa à fase de negociação.

A cedência deste espaço, diz a Startup Lisboa, prevê que seja o próprio promotor a investir na “requalificação, implementação e gestão”, sendo o investimento “amortizado na renda mensal”. Depois de 20 anos de cedência, a utilização do espaço renova-se automaticamente por mais cinco anos até ao limite máximo de 30 anos.

A Startup Lisboa já reabilitou dois edifícios históricos para utilizar como espaços de trabalho e acolher empreendedores e startups nas áreas de tecnologia, comércio e turismo, e uma residência para empreendedores — a Casa Startup Lisboa. A incubadora já captou algumas empresas como a Factory Berlin, uma das maiores incubadoras europeias, a Mercedes-Benz, o grupo Super Bock e os escritórios da Web Summit.