O Fisco ofereceu bónus aos seus trabalhadores no valor de 68 milhões de euros em 2018, revelou o Ministério das Finanças ao Jornal de Negócios. Todos os 11 mil funcionários da Autoridade Tributária receberam assim uma média de 400 euros extra por mês. O dinheiro veio do Fundo de Estabilização Tributário (FET).

O Jornal de Negócios explica que os valores pagos são brutos. O dinheiro que os trabalhadores receberam não foi um prémio de desempenho, mas sim um suplemento de produtividade, segundo o mesmo jornal. Depois de os prémios terem sido distribuídos, ainda sobraram 1.1 milhões de euros no final de 2018.

Trabalhadores com salários mais baixos receberam cerca de 170 euros. Já o diretor-geral das Finanças recebeu cerca de 1.500 euros, de acordo com as contas do Jornal de Negócios.

O FET, fonte do dinheiro dos suplementos, é alimentado anualmente através de uma pequena parte da cobrança coerciva de impostos. Foi criado em 1996 para oferecer suplementos aos trabalhadores da então Direção-Geral de Impostos.

Cabe ao ministro das Finanças definir a fatia da cobrança coerciva a ser transferida para o fundo. Mário Centeno decidiu que este ano o fundo só pode receber no máximo 5% das cobranças.