Donald Trump anunciou esta terça-feira a desistência de Patrick Shanahan da nomeação para o cargo de secretário de Defesa dos Estados Unidos. O Presidente norte-americano informou no Twitter que Shanahan pretende “dedicar mais tempo à sua família” e, por isso, decidiu recuar.

Em maio, recorde-se, a Casa Branca tinha confirmado que Donald Trump iria nomear oficialmente Patrick Shanahan como secretário da Defesa dos Estados Unidos, depois de este ter assumido o cargo interinamente, após a saída de Jim Mattis em dezembro do ano passado. “Com base no seu serviço extraordinário ao país e a sua habilidade demonstrada para liderar, o Presidente Trump pretende nomear Patrick M. Shanahan para seu secretário da Defesa“, lia-se numa nota publicada na conta do Twitter de Sarah Sanders, assessora da Casa Branca.

Mas, conta CNBC, uma investigação do FBI ao passado de Shanahan estaria a atrasar este processo de nomeação. Na base estão dois casos de alegada violência familiar. Patrick Shanahan divulgou um comunicado esta terça-feira onde abordava o caso de violência doméstica em que esteve envolvido em 2010 com a sua ex-mulher. Ambos alegam terem sido agredidos um pelo outro. “Nunca levantei a mão à minha ex-mulher e cooperei totalmente numa investigação que resultou numa acusação contra ela por me ter agredido — acusação essa na qual eu desisti a pensar no melhor para a minha família”, escreveu.

Um segundo episódio de alegada violência familiar, conta o Washington Post, ocorreu em 2011, depois do divórcio do casal. De acordo com um comunicado de Kimberley Jordinson, William Shanahan, filho do casal, terá atacado a mãe quando tinha 17 anos, depois de esta o ter confrontado sobre um relacionamento que terá tido com a antiga ama de 36 anos. Segundo Jordinson, William atacou-a “brutalmente” com um taco de basebol.

Ainda segundo a reportagem, Patrick Shanahan defendeu o filho ao escrever um memorando onde alegava que o filho tinha agido em legítima defesa, um documento que era suposto ter sido lido apenas pelos advogados do filho. “Errei ao escrevê-lo. Nunca acreditei que aquilo que o Will fez à mãe tivesse sido em legítima defesa ou sequer justificável. A violência não é aceitável em nenhuma circunstância, e ainda menos aceitável é atacar alguém com um taco de basebol”, referiu em entrevista esta segunda-feira.

Trump anunciou também esta terça-feira que será Mark T. Esper, o atual secretário das Forças Armadas, a substituir Patrick Shanahan, não revelando, no entanto, quando é que vai ser nomeado oficialmente para o cargo. “Conheço o Mark e não tenho dúvidas de que irá fazer um trabalho fantástico”, escreveu o líder norte-americano.

(Artigo atualizado às 13h34 do dia 19 de junho com mais informações sobre os casos de alegada violência que envolvem Patrick Shanahan e a sua família. Neste caso, foi acrescentada a informação sobre uma alegada agressão do filho de Shanahan à sua mãe quando tinha 17 anos)