A SIC avança que o Tribunal de Lisboa arrestou dois apartamentos a Joe Berardo, que valem cerca de quatro milhões de euros. O pedido veio da Caixa Geral de Depósitos, banco ao qual o comendador deve mais de 300 milhões de euros. Apesar de este acórdão ter 15 dias, o empresário diz que ainda não foi notificado pelo tribunal.

Segundo o canal de televisão, um dos apartamentos localiza-se na Lapa e vale 1 milhão e meio de euros, e está em nome da ATRAM, empresa que tem um segundo apartamento na Avenida Infante Santo, um T5, de 430 metros quadrados, avaliado em 2 milhões e meio de euros.

Para fazer este arresto, o tribunal usou um mecanismo legal raro: a figura da desconsideração da personalidade jurídica coletiva, provando que pertenciam ao comendador. Sustentaram este facto com documentos e testemunhos de moradores. A SIC diz ainda que há provas de que Berardo agiu como proprietário do apartamento localizado na Avenida Infante Santo em algumas dações judiciais.

Esta quinta-feira, a revista Sábado já tinha avançado que Berardo teria passado seis imóveis que valem milhões de euros por uma associação de arte, a Associação de Coleções, para ocultar património. A revista conta como o empresário criou instituições de solidariedade, associações e empresas com o objetivo de proteger o património que detinha.

Segundo a mesma publicação, há uma casa de luxo que já estará nas mãos da CGD — um T5, de 430 m2, que terá sido comprado por Berardo em 1999 e que terá sido arrestado numa ação de execução avaliada em 50 milhões de euros.