A Startup Lisboa e a sociedade de advogados PLMJ renovaram esta terça-feira o protocolo de parceria para prestar apoio às empresas incubadas na associação. O acordo assinado esta terça-feira prevê que o escritório português dê acompanhamento através de reuniões de aconselhamento e disponibilização de informação jurídicas às startups.

Em comunicado, a Startup Lisboa afirma que o objetivo da renovação desta parceria é continuar a aproximar os empreendedores a “uma das mais reputadas instituições da área legal em Portugal”. Além disso, com o protocolo, as duas entidades querem que “os profissionais das áreas legais possam contactar com o processo de desenvolvimento de novas ideias e negócios”.

Miguel Fontes, diretor executivo da Startup Lisboa, diz que esta parceria permite que as empresas incubadas “tenham parceiros que possam acompanhá-las nestes temas tão essenciais para que possam praticar a sua atividade dentro dos limites legais”. Para Jorge Silva Martins, sócio na PLMJ que representou o escritório nesta parceria, o protocolo “reforça o compromisso” da sociedade de advogados com sede em Lisboa para estar mais próxima “da inovação e dos empreendedores”.

Celebrar este protocolo significa poder ter equipas de inovadores em permanente contacto. A inovação empresarial, tecnológica e a inovação jurídica, passam assim a ter uma base de colaboração mais robusta e mais ambiciosa, que conta com um conjunto de novas iniciativas de enorme impacto em todo o ecossistema. É um orgulho para a PLMJ continuar a fazer este caminho com a Startup Lisboa, uma incubadora de excelência, que tem desempenhado um papel singular no ecossistema da inovação em Portugal”, diz Jorge Silva Martins.

A Startup Lisboa é uma incubadora de empresas sediada na Baixa de Lisboa. O projeto surgiu em 2012, após uma votação do Orçamento Participativo de Lisboa, como uma associação privada sem fins lucrativos com três fundadores: a Câmara Municipal de Lisboa, o IAPMEI e o banco Montepio.