A Coreia do Norte disparou, ao início de sexta-feira na hora local, projéteis não identificados de curto alcance, anunciou a agência noticiosa sul-coreana Yonhap, citando o Estado-Maior do Exército da Coreia do Sul.

Esta foi a terceira série de disparos de mísseis por parte da Coreia do Norte no espaço de uma semana. Os projéteis foram disparados separadamente na costa oriental do país, declararam as fontes militares da Yonhap.

Depois do anterior disparo de mísseis, os dirigentes de Pyongyang tinham argumentado que se tratava de um aviso à Coreia do Sul a propósito de manobras militares comuns com os EUA.

Os projéteis foram disparados antes do alvorecer, na província de Hamgyong do Sul, e caíram no mar do Japão, segundo o Estado-Maior sul-coreano.

Mesmo antes do anúncio dos disparos norte-coreanos desta quinta-feira, o Presidente norte-americano garantiu que os tiros recentes “não constituíam problema”. Em declarações aos jornalistas, Donald Trump disse: “Isso não me coloca problemas. Vamos ver o que se vai seguir, mas os mísseis de curto alcance são muito comuns”.

As resoluções do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas proíbem à Coreia do Norte, que possui armas nucleares, disparar armas balísticas.

Segundo os militares sul-coreanos, a Coreia do Norte já tinha disparado na quarta-feira dois mísseis balísticos, dias depois de ter feito exatamente o mesmo. Os membros europeus do Conselho de Segurança da ONU condenaram hoje as duas séries de disparos anteriores.

Até agora, Pyongyang não comentou os seus disparos de mísseis.