Foi revelado o relatório de autópsia do jovem ator Cameron Boyce, que morreu na sua casa, em Los Angeles, durante o sono, no último dia 6 de julho. A Los Angeles Country Medical, responsável pelo procedimento, determinou que Boyce sofria de epilepsia e teve uma convulsão enquanto dormia.

O relatório confirma a declaração da família do ator, que, dias depois da morte confirmada, disse em nota que “a morte trágica de Cameron aconteceu por uma convulsão resultante de uma condição médica corrente – epilepsia”. A família completou dizendo que “Cameron era uma das luzes mais brilhantes no mundo”.

O médico legista disse à revista norte-americana Variety que a morte foi “repentina e inesperada”.

Cameron Boyce era conhecido pelos seus papéis na produtora norte-americana Disney, como “Descendentes”, no qual interpretava Carlos de Vil, o filho da icónica vilã de “101 Dálmatas”, Cruella de Vil. A cerimónia de lançamento do terceiro filme da saga, marcada para este mês, foi cancelada em homenagem ao nome do ator, e a companhia audiovisual anunciou uma doação para o instituto Thirst Project, uma organização filantrópica comprometida com a construção de poços de água para a população africana, e à qual o ator era “altamente ligado”, refere a nota.