O britânico Stuart Baxter anunciou esta sexta-feira que abandonou o cargo de selecionador da África do Sul, um mês depois da Taça Africana das Nações de futebol (CAN2019), em que os ‘Bafana Bafana’ caíram nos quartos de final.

Baxter, de 65 anos, revelou que a decisão é “estritamente pessoal” e considerou que “outra pessoa” devia tomar conta na seleção sul-africana, tendo em vista o apuramento para o Mundial de 2022, que vai decorrer no Qatar.

“Sinto que não que não posso continuar a trabalhar com o mesmo profissionalismo e paixão que tinha antes”, referiu o técnico escocês.

O antigo treinador do Vitória de Setúbal (1987/88) chegou aos ‘Bafana Bafana’ em maio de 2017, tendo assinado um contrato de cinco anos, que tinha como principal objetivo a qualificação para o Campeonato do Mundo do Qatar.

Baxter já tinha passado pela seleção da África do Sul entre 2004 e 2006.

Na última edição da CAN2019, a África do Sul foi eliminada nos quartos de final, com uma derrota perante a Nigéria, por 2-1, mas protagonizou uma das maiores surpresas da prova, quando eliminou o anfitrião Egito (1-0), nos ‘oitavos’.

Baxter passa a ser o nono treinador da CAN2019 a deixar o cargo de selecionador, depois de Clarence Seedorf (Camarões), Javier Aguirre (Egipto), Ricardo Manetti (Namíbia), Paul Put (Guiné), Emmanuel Amunike (Tanzânia), Sebastien Desabre (Uganda) Sunday Chidzambwa (Zimbabwe) e Hervé Renard (Marrocos).