O panorama dos ralis internacionais foi dominado pelo Lancia Stratos, entre 1974 e 1976. Neste período de ouro dos ralis do campeonato do mundo, os títulos foram arrecadados pelos pilotos que conduziam este fabuloso carro da Lancia, nomeadamente Sandro Munari e Björn Waldegaard.

Michael Stoschek, um ex-piloto de ralis e apaixonado pela competição, que acumula com o estatuto de chairman do Brose Group (um grande fornecedor da indústria automóvel), decidiu mandar construir um Stratos dos tempos modernos. Para tal, nada melhor do que recorrer a um especialista em desportivos italianos, o reputado Pininfarina. Uma opção que não deixa de ser curiosa, uma vez que o Stratos original foi desenhado pelo concorrente Bertone.

6 fotos

Para produzir o novo Stratos, de que apenas foi construída uma unidade, Pininfarina aproveitou as suas excelentes relações com a Fiat Chrysler Automobiles e utilizou como base um Ferrari 430 Scuderia, sendo bom recordar que o projecto arrancou em 2010. A plataforma do Ferrari foi encurtada em 20 cm, mas o motor continuou a ser o mesmo, e felizmente, pois o 4.3 V8 atmosférico, com 540 cv é um regalo para a condução, mas igualmente para os ouvidos.

O Lancia Stratos de 1973 tinha montado um V6 com 2.418 cc e 190 cv, uma versão do V6 que equipava o Ferrari Dino.

Com apenas 1.247 kg, o Stratos (que já não é Lancia) é capaz de atingir 320 km/h e os 100 km/h em somente 3,3 segundos. Entretanto, uma série de 25 unidades foi anunciada no início de 2018 pela Manifattura Automobili Torino, ainda que sem o apoio ou acordo da Ferrari.

É exactamente um destes Stratos que foi cedido à Motor Trend, para dar umas voltas a um circuito. O resultado está espelhado neste vídeo, pois prova que, apesar de alguns defeitos de juventude, o novo Stratos de 2018 está à altura dos pergaminhos do seu antepassado de 1973, sendo ainda melhor numa série de áreas…