Quanto vale entrar na fase de grupos da Liga dos Campeões com duas derrotas consecutivas? Em 91% dos casos que já existiram na competição, o afastamento da prova (podendo ou não passar para a Liga Europa); no exemplo do Tottenham, que na época passada até chegou à final da Champions com o Liverpool, nada. Como foi o caminho do Benfica depois da paragem para as seleções? Apenas metade dos seis jogos acabaram com vitórias e a equipa teve um registo de 7-6 em golos; com Raúl de Tomás, a derrota com o Zenit serviu ainda assim para quebrar o jejum de golos pelos encarnados desde que chegou à Luz, depois de cerca de 700 minutos em branco.

O desaire do Benfica na deslocação a São Petersburgo para defrontar o Zenit veio complicar as contas da equipa na fase de grupos da Liga dos Campeões mas, até perante a pontuação das restantes equipas (Lyon e Zenit com quatro pontos, RB Leipzig com três), não significa ainda uma “sentença” nos comandados de Bruno Lage em relação aos quatro encontros ainda em falta. E essa foi uma das mensagens que Luís Filipe Vieira, presidente das águias, passou na zona mista após o final do encontro, admitindo assim o desalento pelo resultado.

“Qualquer benfiquista deve estar super descontente, mas dentro daquele balneário foi dito aos jogadores que é expressamente proibido pensar que estamos derrotados. Esta equipa tem valor para fazer mais e vamos lutar até aos limites. Acreditamos nos jogadores que temos e entendemos que vamos conseguir os objetivos. Apareço nas derrotas e digo que estas alturas são complicadas de gerir, porque vivemos o Benfica intensamente”, salientou o líder dos encarnados, referindo contudo que tem noção da tristeza geral pelo desfecho.

“É importante estarmos unidos e não mandar tiros para o ar, porque neste clube não se pode mandar tiros para o ar. Nunca descuraremos esta prova, com o plantel que temos vamos dar respostas concretas. Estamos tristes, para não dizer que estamos envergonhados, mas temos de levantar a cara. Estamos no caminho certo. É um grupo equilibrado e temos qualidade e força para discutir todos os resultados em qualquer campo”, disse.

“Vamos falar numa altura própria sobre isso. Há um plenário de órgãos sociais convocado para um destes dias e, a partir daí, o nosso presidente da mesa da Assembleia Geral irá comunicar qual foi a decisão”, finalizou, ainda a propósito da última Assembleia Geral do Benfica em que terá tentado agredir um associado que estava a exercer a palavra no palanque e deixou algumas críticas e dúvidas à atuação dos atuais dirigentes.