Após o anúncio dos resultados no 3º trimestre, depois da bolsa encerrar na quarta-feira, a Tesla viu as suas acções valorizarem-se rapidamente, saltando no dia seguinte ao anúncio do exercício do Q3 dos 255 dólares por acção para cerca de 300$, consistente com um incremento de 20%.

300 dólares não é o valor mais elevado atribuído à Tesla, cujo recorde está nos 390$. Mas permitiu, ainda assim, ao construtor norte-americano de veículos eléctricos ter um valor de 53 mil milhões de dólares, ultrapassando a General Motors (GM), que se fica pelos 51 mil milhões. Com a valorização das acções, a Tesla ascendeu ao estatuto de marca americana mais valiosa. Recorde-se que o fabricante liderado por Elon Musk, mesmo nos seus piores momentos, em termos de capitalização bolsista, esteve sempre acima da Ford, o 3º mais valioso.

De acordo com a Reuters, se este indicador tem valor para a Tesla, há outro pormenor associado a esta situação que terá agradado a Musk. A Tesla sempre foi perseguida pelos investidores a curto prazo, que apostam contra a empresa, criando uma pressão negativa que acaba por ser-lhe desfavorável. Elon Musk sempre criticou este tipo de investidores e, agora, teve a sua “vingança”.

Nos últimos tempos, o mercado estima que este tipo de investimentos ganharam cerca de 2 mil milhões de dólares. Contudo, na passada quinta-feira, retiraram uma fatia de 1,4 mil milhões a esse bolo, em apenas 24 horas. E como desde 5ª feira as acções não pararam de subir, cotando-se no fecho de 6ª feira a 328,13$, é provável que todo o ganho daqueles que apostaram contra a Tesla se tenha esfumado, ou mesmo transformado em prejuízo.