O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital clarificou esta quinta-feira que é a esquadra 101 de Sintra que irá ser deslocada para Beja, ao contrário do que, por lapso, referiu no final desta manhã.

“O ministro referiu-se à transferência da Base Aérea de Sintra para Beja. O ministro clarifica que se referia à transferência da esquadra 101 de Sintra para Beja, decidida pelo Governo na Resolução do Conselho de Ministros 94/2019”, refere fonte oficial do ministério numa nota enviada esta quinta-feira à noite à Lusa.

Pedro Siza Vieira falava na abertura do 31.º Congresso Nacional de Hotelaria e Turismo, organizado pela Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), que começou esta quinta-feira de manhã em Viana do Castelo. O ministro afirmou na ocasião que “a deslocação da base aérea n.º 1 de Sintra para Beja” ia acontecer “já na primavera do próximo ano” e que iria “libertar muitos constrangimentos na gestão do espaço aéreo na proximidade do aeroporto de Lisboa e permitir mais movimentos com menos constrangimentos do que aqueles que se verificam”.

Antes da clarificação do ministério, o presidente da Câmara Municipal de Sintra garantiu que a base aérea n.º 1 de Sintra não será deslocada para Beja, contrariando assim a informação veiculada esta quinta-feira pelo ministro da Economia. “Na sequência das notícias vindas a público esta tarde sobre a ‘deslocação da base aérea n.º 1 de Sintra’ para Beja, a Câmara Municipal de Sintra, após contactos com o Governo, desmente formalmente a referida notícia que causou perplexidade no concelho”, refere uma nota da autarquia.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da câmara, Basílio Horta, garantiu que “é evidente que a base aérea não sai de Sintra”, acrescentando que já falou com o ministro da Defesa sobre o assunto. “Não sei o que disse o ministro da Economia, mas vi a notícia que foi dada, que põe na boca do ministro determinadas afirmações que não correspondem ao que diz a resolução do Conselho de Ministros, que não diz que a base aérea de Sintra é transferida para Beja. Isso criou em Sintra um clima de desconforto que era necessário esclarecer”, afirmou Basílio Horta à Lusa.

O presidente da Câmara de Sintra garante agora que a base aérea não só não será deslocada, sendo que será até reforçada com a instalação do Centro de Formação Multinacional de Helicópteros militares da União Europeia. “A resolução n.º 94/2019 do Conselho de Ministros apenas determina a transferência da esquadra de voo 101, da base aérea n.º 1, em Sintra, para a base aérea n.º 11, em Beja, até 22 de abril de 2020. A resolução determina ainda a transferência da esquadra de voo 552 de helicópteros, da base aérea n.º 11, em Beja, para a Base Aérea n.º 1, em Sintra”, esclarece a nota enviada pela autarquia, que lamenta “a instabilidade e dúvidas que a incorreta informação [do ministro] originou”.