Os líderes britânico, francês e canadiano foram apanhados no Palácio de Buckingham, no início da cimeira da NATO, que decorre em Londres, a rirem do presidente norte-americano. Boris Johnson, Justin Trudeau e Emmanuel Macron, sem saberem que estavam a ser filmados e que o som estava a ser captado, nunca referem o nome de Donald Trump, mas percebe-se que é a ele que se estão a referir. Entretanto Trump já reagiu, criticando Trudeau e cancelando a conferência de imprensa planeada.

São vários os jornais que dão conta disso, e nas redes sociais o vídeo também já circula legendado. Segundo o The Guardian, os três estavam a conversar e havia uma câmara apontada para o líder canadiano Justin Trudeau. A certa altura percebe-se que Boris Johnson pergunta “Foi por isso que ele chegou atrasado?”. “Ele chegou atrasado porque tinha dado uma conferência de imprensa de 40 minutos”, responde Trudeau, que iria falar sobre o tema da conferência, mas foi interrompido por Macron que fala animadamente para o grupo, sem se perceber o que diz porque está de costas para a câmara.

Para depois falar novamente Trudeau, no mesmo tom animado: “Vocês viram a equipa dele a ficar de ‘queixo no chão!'”, afirmou.

Entretanto Trump já reagiu ao vídeo, acusando Trudeau de ter “duas caras”. “Ele é uma boa pessoa, mas tenho que o chamar à atenção para o facto de ele não estar a pagar 2% de contribuição e não deve estar muito feliz com isso. E o Canadá tem dinheiro para isso”, disse.

Depois disso anunciou ter cancelado a conferência de imprensa que estava programada, com o argumento de que já tinha dado “muitas nos últimos dois dias”.

A cimeira da NATO, onde participam líderes de 29 países, incluindo o primeiro-ministro, António Costa, decorre num ambiente tenso, perante múltiplos desafios externos e divergências internas sobre questões críticas como a intervenção militar da Turquia na Síria, a ameaça chinesa e o financiamento da organização. Arrancou com uma afirmação polémica do presidente francês, Emmanuel Macron, em entrevista, dizendo que a aliança militar que faz 70 anos está “em morte cerebral” e com as duras críticas de Trump à afirmação do seu homólogo francês.

Trump critica posição de Emmanuel Macron sobre a NATO