Rául de Tomás chegou a ser cobiçado pelo Sporting na temporada de 2018/19, estava no radar do Benfica até antes pelas exibições no Rayo Vallecano por empréstimo do Real Madrid e chegou mesmo à Luz em 2019/20, no epílogo de negociações que, de acordo com a imprensa espanhola, chegaram mesmo a colocar também o nome de Keylor Navas ao barulho (com um salário incomportável para os encarnados, como se percebeu pelo contrato que assinou mais tarde pelo PSG e que entretanto se tornou público através de um leak). Não foi barato mas chegou por 20 milhões, naquela que foi a segunda contratação mais cara de sempre do clube. No entanto, ganhou um efeito boomerang em cerca de seis meses, sem que as águias ficassem a perder em termos de negócio.

Raúl de Tomás, a.k.a R.D.T.: o sucessor de Félix que esteve próximo do Sporting, gosta de ralis e torceu o nariz ao VAR

De acordo com a SportTV, numa informação que começa também a ser veiculada em Espanha, o avançado estará a caminho do Espanyol, equipa agora treinada pelo ex-central Abelardo que empatou recentemente com o líder Barcelona no dérbi da Catalunha mas que ocupa o último lugar da Liga espanhola. E os valores da saída são ainda mais altos do que os da chegada: 22 milhões de euros pelo passe do jogador formado no Real Madrid. Ainda assim, não é líquido que esses 22 milhões sejam englobados num valor fixo ou se os moldes do negócio serão feitos com um montante de 20 milhões e os restantes dois milhões mediante cláusulas por objetivos. Uma outra hipótese falada é a possibilidade de o Benfica manter uma percentagem dos direitos económicos do jogador.

Benfica contrata Raúl de Tomás por 20 milhões de euros. Espanhol assina por cinco épocas

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Apontado como uma espécie de sucessor de João Félix até pela proximidade de anúncios entre ambos (mesmo não havendo muitos pontos de contacto no estilo e forma de jogar), Raúl de Tomás começou bem a pré-temporada, foi titular no início da época mas a dupla com Seferovic nunca chegou a carburar nem quando Rafa estava ainda na equipa antes da longa lesão que o tem afastado dos relvados. Depois, com a recuperação de Chiquinho que também se lesionou por algum tempo frente ao FC Porto e o aparecimento em força de Carlos Vinícius, o espanhol perdeu de vez espaço na Luz, tendo apenas feito dois jogos da Taça da Liga em dezembro.

R.D.T., o agente pouco secreto com licença para matar (a crónica do 8-0 do Benfica à Académica)

Ao todo, RDT, como também é conhecido, participou em 1.042 minutos de 17 encontros entre Campeonato, Taça de Portugal, Taça da Liga, Liga dos Campeões e Supertaça, marcando três golos contra Zenit (Liga dos Campeões), Vizela (Taça de Portugal) e V. Setúbal (Taça da Liga), sempre na condição de visitante.

Há uma coisa que Guedes pode ensinar a RDT – e que não se compra nem por 20 milhões (a crónica do V. Setúbal-Benfica)

Fica agora por saber se os encarnados estão no mercado à procura de um jogador de características ofensivas que possa fazer companhia a Carlos Vinícius, Seferovic e Jota (além de Chiquinho, que tem jogado algumas vezes como segundo avançado) ou se mantêm as atuais opções à ordem de Bruno Lage. Dyego Sousa, avançado luso-brasileiro que já foi chamado por Fernando Santos à Seleção – e que viajou no domingo para Lisboa – e que joga atualmente na China após ter sido vendido pelo Sp. Braga, foi uma das opções muito faladas em mercados anteriores, ficando por se perceber se esse interesse ainda é uma realidade ou se existem outros alvos preferenciais.

Além do espanhol, também Gedson Fernandes estará de saída da Luz neste mercado de inverno que fez chegar ao Benfica o internacional alemão Weigl, ex-B. Dortmund. Depois de se ter tornado indiscutível com Rui Vitória, o médio foi tendo menos oportunidades com Bruno Lage, cenário que se prolongou na presente temporada onde fez 633 minutos em 13 jogos. O West Ham surge como cenário provável para o jogador formado no Seixal, num cenário de cedência temporária. Fejsa, Samaris e Zivkovic foram outros nomes já falados pela imprensa desportiva como outras possíveis saídas do plantel encarnado já neste mês de janeiro.

Weigl, o reforço do Benfica que era o protegido de Tuchel e é comparado a Guardiola