Todos os anos, no início de janeiro, em Las Vegas, a CES — Consumer Electronics Show, reconhecida como uma das principais feiras de tecnologia do mundo, mostra as inovações para cada ano. Cada vez mais as grande marcas tecnológicas querem fugir a este evento quando têm grandes novidades e manter secretos os projetos mais importantes que têm em curso, mas deixam sempre alguns produtos ou apenas protótipos para este evento.

A edição de 2020 pode parecer menos inovadora do que a de 2019 ou 2018, mas isso quer dizer que não tenham sido reveladas surpresas. O primeiro ano em que a CES permitiu apresentar produtos sexuais na feira, uma tendência cada vez maior neste tipo de eventos — algo que a Web Summit, por exemplo, faz desde 2018 –, foi também o ano em que a Sony mostrou um carro. Há coisas que ainda não mudaram (as televisões continuam apenas a ter imagens mais nítidas, sem grande revolução, por exemplo), mas pequenas coisas como alterações nos padrões de Bluetooth prometem facilitar o futuro. Veja as oito novidades que mais marcaram a edição de 2020 da CES.

Dificuldade em perceber o que o cão está a sentir?

A Inupathy apresentou na CES 2020 um aparelho que se coloca no dorso de uma cão e mostra ao utilizador, ou dono, o que o animal está a sentir. A tecnologia mede as pulsações cardíacas de um cão e diz se este está relaxado, nervoso, excitado, stressado ou feliz. Ainda não tem data de lançamento, mas já há um vídeo que mostra como o produto vai funcionar.

A Sony apresentou um carro. Sim, um carro

A empresa japonesa, conhecida por ter criado produtos como o Walkman ou a PlayStation, tem apresentado ao longos dos anos várias tecnologias, mas foi a primeira vez que mostrou um carro. Pelo menos nos tempos mais próximos, o automóvel elétrico da Sony não vai estar à venda, mas cativou as principais atenções na CES. Desde inovações para ecrãs nos tabliers a sensores em todo a viatura, este carro serviu para mostrar que tipo de investimento a empresa quer seguir no campeonato da mobilidade.

Um teclado invisível

E se pudesse teclar em cima de qualquer superfície plana como se fosse um teclado? Há empresas que já testaram o conceito com projetores laser que se ligavam a aparelhos, mas esta foi a primeira vez que foi apresentado um protótipo de teclado virtual que usa apenas a câmara frontal de um aparelho. Chama-se Selfie Type e a funcionalidade foi revelada este ano pela sul-coreana Samsung na CES.

Comprou uma televisão 4K? Desculpe, mas agora é tudo 8K

“Lembra-se do 4K? Pois, o 8K, já demonstrado na feira concorrente da CES, a IFA, esteve presente em Las Vegas. Marcas como a LG e a Samsung continuam na vanguarda daquilo que é o futuro da imagem”, escrevemos em 2018. Este ano, estas marcas consolidam-se neste mercado com modelos com imagens ultra nítidas como a Samsung QLED TV 8K Q950TS ou as novas LG OLED ZX Real 8K (sim, o nomes têm esta complexidade). Já outros fabricantes mostraram também que querem estar na vanguarda deste mercado, marcas como a Sony — que até anunciou que a PS5 vai ter 8K — e a TCL. Outras, como a Hisense, tentam juntam o 4K com 2k e antecipar assim o salto para o 8K

Um expositor com vários ecrãs 8K da TCL apresentados na CES 2020

Uma cadeira de rodas para o futuro: como no filme “Wall.E”

Em “Wall.E”, da Disney Pixar, o último robô que ficou a limpar a terra suja pelos humanos descobriu uma humanidade a viver a bordo de um cruzeiro espacial numa vida mais do que sedentária. Das crianças aos idosos, nesta toda a gente se deslocava sentado numa cadeira. Na CES 2020, a Segway, que revolucionou o mercado dos transportes urbanos de curta distância, mostrou o novo Segway S-Pod. Se por um lado poderá sentir-se como o Professor Xavier, dos X-Men, a andar a até 39 km/h numa cadeira elétrica, a Segway mostrou que cada vez mais há mercados para quem gosta de estar sentadinho. A empresa diz que o look, contudo, foi inspirado nos veículos redondos do filme Jurassic World.

Agora, os computadores querem ser como a Nintendo Switch

A marca de computadores Alienware, parte da Dell, é conhecida por ter aparelhos potentes com design arrojado. Contudo, na CES 2020 a empresa mostrou que ser-se arrojado, por vezes, é procurar inspiração na Nintendo. À semelhança da Switch — a consola pode ligar-se à televisão ou ser usada em formato portátil — a Alienware apresentou um computador que utiliza o mesmo conceito. Para já, sabe-se apenas que tem o nome Concept UFO e um ecrã de 8 polegadas. Se o interesse que o produto gerou na imprensa continuar, como conta o Business Insider, poderá ser lançado comercialmente no futuro.

O computador da Alienware tem comandos laterais que podem ser retirados como na Nintendo Switch

O Bluetooth vai melhorar

Esta é uma das novidades que teve pouca visibilidade na CES, por ser pequena, mas pode ter grandes repercussões. A tecnologia Bluetooth, que permite facilmente interligar aparelhos sem fios, vai melhorar. Como explica o Gizmodo, a Bluetooth Special Interest Group (Bluetooth SIG), a organização que gere os protocolos informáticos da tecnologia, anunciou na CES que criou novos parâmetros. Quando implementados no futuro, estes parâmetros vão permitir ligações mais fiáveis e — melhor parte — vão fazer com que os dispositivos Bluetooth utilizem menos bateria.

Pela primeira vez, a CES mostrou onde está a inovação na tecnologia dos vibradores

O sexo vende, é um facto. No entanto, nos últimos anos tem tido dificuldade em ser vendido. Prova disso é a batalha que empresas de vibradores e outros produtos para recriação sexual têm enfrentado para poder fazer apresentações em feiras de tecnologia. Apesar de o conceito poder ferir susceptilibidades, a tecnologia de muitos destes produtos é mais inovadora do que outros gadgets tradicionais e, por isso, pela primeira vez houve stands “sextech” na CES (na Web Summit, por exemplo, só foram permitidos stands destas empresas a partir de 2018).

Ligação por Bluetooth, materiais flexíveis à prova de fluídos com baterias integradas ou massajadores robôs são algumas das inovações apresentadas numa secção da feira focada em aparelhos para a saúde, como refere a BBC. Apesar de ser ainda uma experiência tímida, dispensadores de lubrificante que funcionam como máquinas de café com cápsulas ou massajadores portáteis foram apresentados pela primeira vez na CES e prometem voltar.