O Irão vai enviar para a Ucrânia as gravações da caixa negra do avião ucraniano que abateu acidentalmente na semana passada para que sejam sujeitas a análises adicionais, segundo uma fonte oficial iraniana.

Hassan Rezaeifer, chefe de investigações de acidentes do departamento de aviação civil iraniano explicou que não era possível ler as caixas negras no Irão sem ajuda. Especialistas franceses, norte-americanos e canadianos vão ajudar os especialistas a analisar as gravações em Kiev.

O abate do UIA Boeing 737-800, que cobria a rota Teerão-Kiev, matou 176 passageiros e tripulantes, 82 deles iranianos, o que gerou uma onda de descontentamento popular.

Inicialmente, as autoridades iranianas rejeitaram a tese de que o desastre do Boeing 737 da Ukraine International Airlines, ocorrido no dia 08, estivesse relacionado com um eventual ataque com mísseis já que o acidente ocorreu horas depois do lançamento de 22 mísseis iranianos contra duas bases da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos, em Ain Assad e Erbil, no Iraque, numa operação de vingança pela morte do general iraniano Qassem Soleimani.

Dias depois, o Presidente do Irão, Hassan Rohani, afirmou que o país “lamentava profundamente” ter abatido o aviaão civil, sublinhando tratar-se de “uma grande tragédia e um erro imperdoável”.