Não se pode dizer que o desfecho da noite tenha sido surpreendente. Aos 18 anos, Billie Eilish era a mais jovem artista a ser nomeada para os Grammy Awards e, embora fosse Lizzo quem liderasse no número de nomeações, a miúda de Los Angeles também estava lançada. A noite de domingo acabou com Eilish a levar para casa os prémios mais cobiçados — Artista Revelação, Canção do Ano, Álbum do Ano e Gravação do Ano.

Se a esses somarmos os prémios de Melhor Álbum de Pop Vocal e de Melhor Engenharia de Álbum na categoria Não Clássica (sem contar o de Produtor do Ano na categoria Não Clássica que foi para Finneas O’Connell, o irmão e produtor), a vitória de Eilish fica mesmo retumbante, tudo graças ao êxito “Bad Guy” e ao seu álbum de estreia — When We All Fall Asleep, Where Do We Go?.

O somatório de Billie Eilish deixou para trás os outros dois nomes que lideravam a lista de nomeações — Lizzo, que ficou com os prémios (o primeiro da noite a ser entregue) de Melhor Performance Pop a Solo e, fora das categorias principais, de Melhor Álbum Urbano Contemporâneo e de Melhor Performance de R&B Tradicional, e Lil Nas X, a quem o dueto com Billie Ray Cyrus — “Old Town Road” — valeu os dois únicos gramofones, Melhor Videoclipe e Melhor Performance de um Duo ou Grupo Pop.

Billie Eilish e o irmão Finneas O’Connell no final da cerimónia dos Grammys © Amanda Edwards/Getty Images

Quem ficou a ver navios foi Ariana Grande, que não ganhou nenhum dos cinco Grammys para os quais estava nomeada, e Taylor Swift que estava nomeada em três categorias (e nem se dignou a aparecer).

Tyler the Creator conquistou o Grammy de Melhor Álbum de Rap com IGOR. “Higher”, tema que junta DJ Khaled, Nipsey Hussle e John Legend recebeu o prémio de Melhor Performance de Rap/Sung. Destaque ainda para “Speechless”, da dupla Dan + Shay, que ganhou Melhor Performance de um Duo ou Grupo Country, e para Ventura de Anderson .Paak, que saiu como Melhor Álbum de R&B.

A lista completa dos vencedores na principais categorias:

Gravação do Ano: “Bad Guy”, Billie Eilish

Álbum do Ano: When We All Fall Asleep, Where Do We Go?, Billie Eilish

Artista Revelação: Billie Eilish

Canção do Ano: “Bad Guy,” Billie Eilish O’Connell e Finneas O’Connell

Melhor Performance de Rap/Sung: “Higher”, DJ Khaled feat. Nipsey Hussle e John Legend

Melhor Álbum de Rap: IGOR, Tyler the Creator

Melhor Álbum de Comédia: Sticks & Stones, Dave Chapelle

Melhor Performance de um Duo ou Grupo Country: “Speechless,” Dan + Shay

Melhor Performance de Pop a Solo: “Truth Hurts,” Lizzo

Melhor Álbum de Pop Vocal: When We All Fall Asleep, Where Do We Go, Billie Eilish

Melhor Performance de um Duo ou Grupo Pop: “Old Town Road”, Lil Nas X e Billy Ray Cyrus

Melhor Álbum de Pop Vocal Tradicional: Look Now, Elvis Costello e The Imposters

Produtor do Ano, Não Clássica: Finneas O’Connor

Melhor Álbum de R&B: Ventura, Anderson .Paak

Melhor Performance de R&B Tradicional: “Jerome”, Lizzo

Melhor Canção de R&B: “Say So”, Pj Morton, Songwriter (Pj Morton Ft. Jojo)

Melhor Performance de Rock: “This Land”, Gary Clark Jr.

Melhor Álbum de Rock: Social Cues, Cage The Elephant

Melhor Álbum de Spoken Word: Becoming, Michelle Obama

Melhor Videoclipe: “Old Town Road (Official Movie)”, Lil Nas X featuring Billie Ray Cyrus

Melhor Filme de Música: “Homecoming”, Beyoncé

Melhor Gravação de Dança: “Got to Keep On”, The Chemical Brothers

Melhor Álbum de Dança/Eletrónica: No Geography, The Chemical Brothers

Melhor Performance de Country a Solo: “Ride Me Back Home”, Willie Nelson

Melhor Canção Country: “Bring My Flowers Now”, Brandi Carlile, Phil Hanseroth, Tim Hanseroth e Tanya Tucker

Melhor Álbum de Country: While I’m Livin’, Tanya Tucker

Melhor Performance de Rap: “Racks in the Middle”, Nipsey Hussle featuring Roddy Ricch & Hit-Boy

Melhor Canção Rap: “A Lot”, Jermaine Cole, Dacoury Natche, 21 Savage e Anthony White

Melhor Álbum de Rock Latino, Urbano ou Alternativo: El Mal Querer, Rosalía