As 24 Horas de Le Mans, a corrida mais importante do campeonato do mundo de resistência, decorrem habitualmente em Junho e, em 2020, estavam previstas para o fim-de-semana de 13 e 14 de Junho, como é tradicional. Porém, tudo isto era antes da pandemia do coronavírus atacar o mundo, com ênfase para todos os eventos que arrastem multidões, como é definitivamente o caso da prova francesa, uma das mais reputadas do mundo.

Assustada pela pandemia do coronavírus, a organização resolveu adiar a corrida que consiste em percorrer o maior o número de quilómetros durante 24 horas, o que implica ter um carro veloz e robusto, além de mecânicos ainda mais rápidos a trocar de pneus e a abastecer. A nova data escolhida aponta para 19 e 20 de Setembro.

Este adiamento de três meses parece muito optimista, sobretudo porque a prova tem lugar em França, um dos países mais afectados na Europa por este vírus que surgiu inicialmente na China. Posto isto, se as 24 Horas de Le Mans passarem para 2021, uma vez que é demasiado perigoso realizar a competição durante o período de chuvas, ninguém deverá ficar admirado.

“É importante salientar que faremos todos os esforços para garantir a segurança e a qualidade dos nossos eventos. Hoje o que importa é parar com a contaminação pelo vírus e ajudar o pessoal médico responsável pela nossa saúde”, disse Pierre Fillon, o presidente do Automobile Club de l’Ouest, que organiza a mítica competição.