Itália continua a registar uma tendência de queda nos números de novos contágios e de mortes provocadas pela Covid-19. Este domingo, os números oficiais divulgados pelas autoridades italianas revelam que nas últimas 24 horas morreram 525 pessoas vítimas da infeção pelo coronavírus e que foram confirmados 4.316 novos casos.

Trata-se do número diário de mortes mais baixo em mais de duas semanas — é preciso recuar até 19 de março para encontrar um número inferior.

Depois de a 27 de março se ter registado o pico do número diário de mortes, com 919 óbitos confirmados naquele dia, o número de mortes tem vindo a descer gradualmente ao longo da última semana. Já o número de novos casos tem vindo a manter-se, ao longo dos últimos dias, entre os 4 e os 5 mil. Este domingo, foram confirmados 4.316 novas infeções.

Os números totais do surto em Itália são neste momento 128.948 casos de infeção e 15.887 mortes. Até agora, 21.815 doentes já recuperaram da infeção, havendo ainda 91.246 doentes infetados.

O número de recuperações nas últimas 24 horas foi de 819, muito menos do que os 4.316 casos novos — o que significa que Itália não conseguiu ainda inverter a curva e continua a aumentar o número de doentes com a infeção ativa. Neste momento, há 3.977 pessoas internadas em cuidados intensivos.

Recorde de multas leva a intensificação do controlo

Numa altura em que de Nápoles chegam imagens de uma cidade que começa a sair à rua e a violar as regras impostas a nível nacional, as autoridades italianas registaram este sábado um recorde de 9.348 multas por infração às regras de confinamento, o número mais elevado desde que começaram a ser aplicadas multas, a 26 de março, anunciou o Ministério do Interior.

O recorde ocorreu apesar de terem sido realizados menos 30 mil controlos policiais que na sexta-feira, por sábado ser um dia em que a maioria das atividades profissionais autorizadas estão encerradas. No total, 9.284 pessoas foram multadas por estarem fora da residência sem justificação válida, 54 por apresentarem falsas declarações e 10 por violarem a quarentena a que estavam obrigadas por terem testado positivo para o novo coronavírus.

Relativamente às atividades comerciais, 173 empresas foram sancionadas, 14 provisoriamente encerradas e 13 definitivamente. O Ministério do Interior está a preparar um plano de reforço do controlo para a semana da Páscoa, para evitar que as famílias tentem deslocar-se para residências secundárias.

De 11 de março a 4 de abril, as forças policiais controlaram 4,8 milhões de pessoas e 2,1 milhões de empresas. Até sábado, 176.767 pessoas foram multadas em todo o país, que entra na segunda-feira na quinta semana de confinamento.

A região da Lombardia, que é a mais afetada pelo surto, vai começar este domingo a multar em 400 euros todas as pessoas que saiam à rua sem máscara ou sem proteger a boca e o nariz, de acordo com uma legislação assinada pelo presidente do governo regional, Attilio Fontana. Naquela região, já morreram 8.906 pessoas e já se registaram mais de 50 mil casos de contágio