A secretária de Estado da Administração Interna assegurou esta quinta-feira, no parlamento, que a “esmagadora maioria” dos corpos de bombeiros está a funcionar a 100% da sua capacidade operacional, apesar de se contabilizarem 98 bombeiros infetados com Covid-19.

“Temos apenas dois corpos de bombeiros cuja capacidade se encontra entre os 50% e os 75% e temos, neste momento, 98 bombeiros positivos para a Covid-19”, avançou Patrícia Gaspar, em resposta ao deputado do PCP João Dias, que tinha colocado uma questão relativa à situação de “catástrofe financeira” dos bombeiros devido à pandemia.

Numa audição na comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, a secretária de Estado da Administração Interna disse que “a esmagadora maioria dos corpos de bombeiros está a funcionar a 100% da sua capacidade operacional”, admitindo que existe uma redução das fontes de receita das corporações, uma vez que se regista uma diminuição do transporte de doentes urgentes e não urgentes.

Neste âmbito, a governante revelou que, na quarta-feira, foi possível “antecipar a próxima tranche de pagamento do programa de cooperação permanente que é devido às associações, já numa tentativa de conseguir minimizar o impacto que efetivamente esta situação vai ter”, referindo-se à pandemia da Covid-19.

Além disso, o Governo está a preparar um projeto de decreto-lei, que está a ser trabalho com diferentes áreas governativas, “para garantir que se consegue criar instrumentos de apoio muito diretos aquilo que é a atuação dos corpos de bombeiros e gestão das entidades detentoras”.

Quanto à contratação de mais bombeiros, Patrícia Gaspar explicou que “é algo que depende de várias condicionantes”, nomeadamente da capacidade financeira para contratar e da disponibilidade do mercado com pessoas interessadas a ser contratadas para este fim, ressalvando que as associações humanitárias de bombeiros voluntários são entidades privadas.

“O Estado tem, sobretudo, um papel de coordenação operacional”, sustentou.

Relativamente às dívidas aos corpos de bombeiros, a secretária de Estado garantiu que “estão regularizadas” na área da Administração Interna.

“Já conseguimos, inclusive, antecipar o pagamento que era devido para o mês de maio, que já está pago, para que possamos, de alguma forma, dar aqui um conforto financeiro, antecipando este pagamento às associações”, declarou a governante.

Quanto a outras dívidas, Patrícia Gaspar disse que decorrem “algumas negociações nesse quadro”, sem dispor de dados concretos.

Portugal regista 629 mortos associados à Covid-19 em 18.841 casos confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia.

Relativamente ao dia anterior, há mais 30 mortos (+5%) e mais 750 casos de infeção (+4,1%).

Das pessoas infetadas, 1.302 estão hospitalizadas, das quais 229 em unidades de cuidados intensivos, e 493 foram dadas como curadas.