O primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, disse esta quarta-feira que vai aliviar algumas medidas de restrição contra a pandemia de Covid-19, como a reabertura de lojas e esplanadas, à exceção da capital do país, Budapeste.

Num curto vídeo publicado na Internet, Viktor Orbán explicou que a Hungria está preparada para lidar com a pandemia e acrescentou que “vão ser introduzidas novas medidas de proteção”, como a reabertura do comércio, das esplanadas de restaurantes e bares e das floristas.

Contudo, as medidas não se aplicam na capital Budapeste, principal foco de infeção da pandemia, com mais de metade dos 2.727 casos confirmados na Hungria, que regista também 300 óbitos.

O governante húngaro prometeu falar com maior detalhe na quinta-feira sobre os alívios impostos, ficando por saber quando as novas medidas entram em vigor.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 217 mil mortos e infetou mais de 3,1 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Perto de 860 mil doentes foram considerados curados.