Pouco mais de metade de Espanha (51%) vai passar à fase 1 do desconfinamento, a partir da próxima segunda-feira, anunciou o ministro da Saúde espanhol, Salvador Illa, numa conferência de imprensa. Cidades como Madrid e Barcelona, que estão entre as mais afetadas pelo vírus, vão ficar, para já, de fora desta etapa.

Na segunda-feira passada, Espanha tinha entrado na “fase zero” do desconfinamento. Depois de 48 dias em isolamento, os espanhóis foram autorizados a sair à rua, mas apenas para passeios curtos ou exercício físico. Alguns restaurantes também puderam abrir, embora não fosse possível consumir no local.

Espanha. Saída do confinamento terá quatro fases e será “gradual, assimétrica e diferenciada”

A Fase 1 chega na próxima segunda-feira para a maioria dos espanhóis e vai prever a abertura do pequeno comércio “sob condições estritas de segurança”, explicou o presidente do Governo espanhol Pedro Sánchez. Também poderão abrir hotéis e alojamentos turísticos — mas, nestes casos, os espaços comuns continuam a estar vedados aos visitantes — e lugares de culto, como igrejas e mesquitas. Porém, há cidades que ficam de fora.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

É o caso da comunidade de Madrid e a da Catalunha, cuja capital é Barcelona. “Pareceu-nos que não seria apropriado avançar [nestes locais]. Isto não é uma corrida”, disse Salvador Illa.

O governo local de Madrid tinha pedido para passar à fase seguinte, apesar de a região ser a mais afetada (tem mais de 60 mil casos confirmados de infeção), mas o governo central recusou, por considerar que a situação sanitária não era estável o suficiente. Ficam ainda de fora outras zonas da Catalunha, da Comunidade de Castela e Leão e uma parte da Andaluzia (Málaga e Granada).