Não é uma novidade durante a pandemia, mas os números boletim da diário da Direção-Geral de Saúde voltaram a não bater certo. Nas últimas 24 horas, tinham sido registados menos 36 casos na região centro, sem que houvesse mais mortes na região nem houvesse novos recuperados no país. O erro criava, desde logo, uma situação estranha: eram registados 134 novos casos em quatro regiões relativamente ao dia anterior, mas o aumento nacional de novos casos era de apenas 98. Fonte da Direção-Geral de Saúde explicou ao Observador que foi feita “limpeza de doentes que se verificou que estavam duplicados e tinham sido contados duas vezes“. Ou seja: os dados do boletim de hoje são “mais rigorosos” do que os dois do fim-de-semana que davam mais casos na região centro.

Confusão de números à parte, há vários sinais positivos no boletim desta segunda-feira. Desde logo, é a primeira vez desde 22 de março que o número de mortes não passa os dois dígitos durante dois dias consecutivos: foram registadas nove mortes, as mesmas que no domingo, dia 11. No Centro, Alentejo, Madeira e Açores não foram registadas novas mortes e no Algarve foi registado um óbito. Continuam a não existir mortes na Região Autónoma da Madeira.

O aumento do número de casos diários em termos percentuais é o mais baixo de sempre: 0,36%. Olhando para os números absolutos e recuando até 16 de março, só houve um dia em que foram registados menos casos do que os 98 desta segunda feira: a 3 de maio, quando houve 92 novos casos. Contudo só na região de Lisboa e Vale do Tejo e na região Norte houve 130 novos casos, 74 dos quais na região da capital e 56 no Porto.

O número de pessoas internadas aumentou ligeiramente: mais oito pessoas, para um total de 805. Destas mantêm-se as mesmas que estavam no domingo em cuidados intensivos: 112.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os dez concelhos com mais casos são neste momento Lisboa (1737), Vila Nova de Gaia (1455), Porto (1303), Braga (1152), Matosinhos (1207), Gondomar (1048), Maia (909), Sintra (769) Valongo (737) e Ovar (626).

Não há novos casos importados, sendo que Espanha (177), França (137) Reino Unido (88), Emirados Árabes Unidos (48), Brasil (30) e Itália (29) continuam a liderar a lista de países de onde Portugal importou mais casos.

Artigo atualizado às 17h43 de segunda-feira, após resposta da Direção-Geral de Saúde a justificar o porquê de ter havido uma redução de 36 casos na região Centro sem que tenham existido novas mortes ou recuperados na região.