Está sem visitas, em teletrabalho e confinada “por tempo indeterminado”, até pelas preocupações de saúde que a idade avançada acarreta. Afinal, aos 94 anos, a rainha Isabel II está certamente entre a população considerada de risco no que respeita às possíveis consequências de uma infeção com o novo coronavírus — o que não a impediu de se dirigir aos britânicos no mês passado para um discurso marcante e com tónica no futuro, ainda que impregnado de memórias históricas. Apesar de tudo, a monarca britânica que nasceu em 1926 continua ativa e desta vez interveio por telefone.

Isabel II participou esta terça-feira numa ação concertada da Família Real Britânica, que decidiu sinalizar em peso o seu apoio e reconhecimento à comunidade de enfermeiros e enfermeiras de toda a Commonwealth — que por sua vez agrupa 54 Estados-membros, quase todos pertencentes em tempos ao antigo Império Britânico.

Participaram também na ação, que envolveu chamadas, vídeo-chamadas e conversas textuais com enfermeiros de inúmeros países, neste Dia Internacional do Enfermeiro (12 de maio), o Príncipe Carlos, a duquesa da Cornualha, Camila, os Príncipes William e Kate, duques de Cambridge, a Princesa Ana, a Condessa de Wessex, Sofia, e a Princesa Alexandra.

“É um dia realmente importante”, notou a Rainha

Um resumo com uma síntese das conversas dos diferentes elementos da Família Real Britânica foi entretanto difundido na internet e logo ao início é possível ouvir um excerto de uma conversa telefónica entre a Rainha Isabel II, a partir do castelo de Windsor, e a presidente dos Enfermeiros da Commonwealth e da Midwives Federation (Federação de Parteiras), Kathleen McCourt. No excerto divulgado, depois lhe ser dirigido um “boa tarde, sua Majestade”, a Rainha responde: “Isto é um dia realmente importante… porque obviamente todos [os enfermeiros] têm tido um papel muito importante para desempenhar em tempos recentes”. Ora oiça:

A BBC refere que a própria realeza britânica acredita que “esta pode ser a primeira vez que foi tornada pública uma gravação áudio de uma chamada telefónica feita pela Rainha”, que começou a cumprir deveres públicos da Família Real ainda na II Guerra Mundial e cujo reinado começou na primeira metade da década de 1950.

Outros excertos tornados públicos incluíram palavras de Príncipe Carlos, que agradeceu aos enfermeiros a “diligência” e “coragem” no combate à pandemia do novo coronavírus (juntando-se assim “a um coro que vos agradece (…) pelo país e em todo o mundo”), e da Duquesa da Cornualha, Camila, que lembrou que “tempos invulgares e extraordinários requerem pessoas invulgares e extraordinárias”.

Já a Duquesa de Cambridge, antigamente conhecida pelo nome de batismo Catherine Middleton, diz o seguinte, como notou a estação Sky: “Não sei como conseguem fazer isto e continuar a trabalhar como trabalham, apesar das pressões extra que recaem sobre todos vós e das condições desafiantes. Isso mostra o quão vital é o papel que os enfermeiros desempenham em todo o mundo. Têm motivos para estarem muito orgulhos do trabalho que fazem”.

Sem visitas e em teletrabalho. Confinada “por tempo indeterminado”, Isabel II pode não voltar a eventos públicos