A presidente regional das ilhas Baleares, em Espanha, anunciou um plano para começar a receber turistas. O projeto piloto passa por, em conjunto com o operador turístico alemão TUI, procurar turistas na Alemanha, ou mesmo noutros países da Europa com baixas taxas de infeção, que queiram viajar de forma controlada para Maiorca, explicou Francina Armengol à CNN a partir de Maiorca.

“Estamos prontos para implementar o projeto piloto no final de junho, para que os grupos possam vir em segurança”, disse. “Temos que aprender a viver com a Covid-19 e temos que fazê-lo de forma segura”, acrescentou.

Da parte da TUI, à CNN, o responsável pela comunicação Martin Riecken diz que está a conversar com outras autoridades locais de forma a retomar as férias de verão noutros sítios. ” Não acreditamos que isso possa acontecer em toda a Espanha, mas nas Baleares, ou nas Ilhas Canárias, com baixas taxas de infeção e onde os governos regionais conseguiram grandes progressos” no combate  à pandemia.

A TUI está também a tentar outros destinos turísticos, como a Grécia, o Chipre, a Cróacia e a Bulgária, mas esta reabertura está também dependente dos governos centrais. Em Espanha, por exemplo, o governo obriga a uma quarentena de 14 dias para todos os que passageiros internacionais, uma medida a por em prática a partir desta sexta-feira.

Na União Europeia está a nascer o conceito das “green bridges” (traduzido à letra pontes verdes) entre países ou capitais onde a pandemia esteja mais controlada.

As ilhas baleares receberam, em 2019, 16 milhões de turistas, um quarto deles vindos da Alemanha. Este ano, por causa do novo coronavírus estão previstos 4 a 6 milhões.