É pouco comum, mas aconteceu: este sábado, Barack Obama, antigo presidente dos EUA, criticou o atual líder desse país, Donald Trump. Como refere o Politico, este domingo Trump desvalorizou as críticas quanto à forma como tem liderado o ataque à pandemia de Covid-19 e disse que Obama foi “grosseiramente incompetente” quando era Presidente.

“Veja, ele era um presidente incompetente, é tudo o que posso dizer. Grosseiramente [grossly, em inglês] incompetente”, disse Trump, depois de questionado por jornalistas na Casa Branca.

Trump continua a afirmar que tem estado a liderar bem o país no ataque à pandemia do novo coronavírus. “Acho que tivemos um ótimo final de semana. Fizemos muitas reuniões fantásticas. Um tremendo progresso está a ser feito em muitas frentes, incluindo a cura para esta peste horrível que assolou o nosso país”, disse o atual presidente.

Barack Obama critica resposta de executivo de Trump à Covid-19

As críticas de Obama foram feitas este sábado durante um discurso proferido no “Show Me Your Walk – HBCU Edition”, um evento de duas horas, transmitido online, que assinalou a conclusão da licenciatura por milhares de alunos das HBCUs, instituições de ensino superior criadas antes da Lei dos Direitos Civis de 1964, que acabou com a segregação racial, para receber sobretudo membros da comunidade afro-americana. “Muitos deles [atuais líderes] nem sequer fingem estar a liderar”, afirmou Obama.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Mais do que tudo, esta pandemia finalmente abriu a cortina com à ideia de que tantas pessoas no comando sabem o que estão a fazer”, disse o ex-Presidente norte-americano este domingo.

Na origem desta troca de galhardetes estão as notícias de que, alegadamente, Obama terá criticado em privado, no início da semana passada, a gestão de Trump durante a crise do novo coronavírus e a desistência da procuradoria-geral de acusar o seu antigo assessor, Michael Flynn. Depois de saber dessas críticas, Trump começou a usar a expressão “Obamagate”, numa alusão ao escândalo político do caso Watergate, que levou à demissão de Richard Nixon, e acusando a antiga administração no Twitter de ser “a mais corrupta da história do EUA”.