Os testes à Covid-19 realizados aos 2.732 colaboradores e utentes dos 34 estabelecimentos residenciais para pessoas idosas na Madeira deram todos resultados negativos, informou esta quinta-feira a Secretaria da Saúde do arquipélago.

“No dia 21 de maio, foram rececionados os resultados dos últimos testes realizados no dia anterior e são todos negativos, perfazendo um total de 2.732 testes (1.369 utentes e 1.363 colaboradores)”, diz a nota daquele departamento do governo madeirense.

O documento menciona que as últimas amostras foram colhidas no dia 20 de maio, no Lar de Gaula, na Casa Sagrada Família e Refúgio São Vicente de Paulo, num total de 113 pessoas (73 utentes e 40 colaboradores).

Estes testes à Covid-19 começaram em 20 de abril, no Lar Living Care de Câmara de Lobos, no total de 110 pessoas, refere.

De acordo com a Secretaria da Saúde e Proteção Civil, esta estratégia de rastreamento abrangeu as 34 instituições de apoio a pessoas idosas existentes nos 11 concelhos desta região autónoma, que inclui as ilhas da Madeira e Porto Santo.

O documento acrescenta que também foram efetuados testes às 580 ajudantes domiciliárias na Madeira, iniciando com as “100 profissionais afetas ao Instituto de Segurança Social da Madeira, no concelho do Funchal”, uma ação que decorreu entre os dias 14 e 19 de maio.

A realização destes testes para despiste da Covid-19 está enquadrada na estratégia regional levada a cabo pelo Governo Regional de luta contra a Covid-19.

De acordo com os dados divulgado pelo Instituto da Administração da Saúde da Madeira (IASAUDE) na quarta-feira, a Madeira está há 14 dias consecutivos sem registo de novos casos de Covid-19, mantendo o cumulativo de 90 infetados e 64 doentes recuperados.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 328 mil mortos e infetou mais de cinco milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,8 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.277 pessoas das 29.912 confirmadas como infetadas, e há 6.452 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.