Um equipa de arqueólogos da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, descobriram aquela que pode ser a maior e mais antiga estrutura maia. Os vestígios do monumento, batizado como Aguada Fénix, foram encontrados em Tabasco, no sul do México, perto da fronteira com a Guatemala. Estima-se que Aguada Fénix tenha sido construído entre 1.000 e 800 A.C.

A descoberta, relatada num estudo publicado esta quarta-feira na revista Nature, foi possível através da tecnologia conhecida como Lidar (Light Detection and Ranging), que usa lasers emitidos a partir de um avião e dados obtidos durante o voo para gerar informações tridimensionais sobre o formato e características de uma superfície em estudo.

De acordo com os investigadores, Aguada Fénix tem mais de 1 quilómetro de comprimento e devia medir entre 10 a 15 metros de altura, quando estava erguido. Até agora, a estrutura passava despercebida à população da região, por estar numa zona de selva densa.

“Por se tratar de uma estrutura grande e plana, parece uma paisagem natural. Mas no Lidar, aparece facilmente”, explicou o arqueologista Takeshi Inomata, que liderou a investigação.