479kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

ERC recebe queixas sobre série animada da RTP2 que falou sobre aborto, homossexualidade e feminismo

Este artigo tem mais de 2 anos

Em causa está o episódio da serie de animação "Destemidas", que fala de mulheres importantes na história e passa no segmento infantil "Zig Zag", sobre a ativista francesa Thérèse Clerc.

A série em questão é uma produção francesa que ja foi premiada e adaptada para outros países
i

A série em questão é uma produção francesa que ja foi premiada e adaptada para outros países

A série em questão é uma produção francesa que ja foi premiada e adaptada para outros países

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) recebeu várias queixas devido a um episódio da série infantil “Destemidas”, criação de origem francesa que conta a história de mulheres importantes da história e é transmitida no espaço Zig Zag, da RTP2. Em causa está um episódio que aborda temas como o aborto, homossexualidade, feminismo, divórcio e religião.

A série de animação dedica cada episódio a uma mulher em específico e a do episódio em questão é a da falecida femininista francesa Thérèse Clerc, ativista pelos direitos das mulheres que chegou a ser galardoada com a Legião de Honra francesa em 2008. O objetivo da série é contar a história  de mulheres corajosas que mudaram o rumo da história.

A ERC confirmou ao Correio da Manhã que recebeu queixas sobre a série e adiantou que as participações se “encontram em apreciação pelos serviços da Entidade”. Segundo o mesmo jornal, também o provedor da estação recebeu várias denuncias.

Ao Observador, Teresa Paixão, a diretora de programas da RTP2, reconhece que, “dada a a delicadeza do tema,” podiam ter “suavizado e enquadrado melhor estes direitos, que são mais complexos”. Mesmo assim, defende que não é intenção da estação “fazer apologia a nada, tanto ao catolicismo como a qualquer outra religião”. “Compete sim à televisão pública falar de todos os assuntos e de todas as formas de vida”, ressalva. “Além disso, nada do que a senhora defendeu é ilegal em Portugal”, remata.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Entretanto, o Provedor da RTP Jorge Wemans já se pronunciou sobre o assunto e emitiu um comunicado onde se lê que “a intenção do programa era a de tornar tranquila essa relação com o facto de muitos adolescentes se interrogarem sobre a sua identidade de género”, mas, mesmo assim, assume que “não se tenha munido do melhor percurso para lá chegar”. O mesmo Provedor determinou que o episódio em questão fosse retirado do espaço online “Zig Zag” e que não voltasse a ser exibido — decisão que Teresa Paixão admite ter sido cumprida à risca. Entretanto todos os episódios deixaram de estar disponíveis nessa mesma plataforma online e foram transferidos para uma outra, a RTP Play, que é mais geral e não direcionada em específico a crianças. A decisão foi anunciada pela mesma Teresa Paixão num comunicado publicado na página de facebook da RTP2.

A série “Destemidas” é uma adaptação da obra literária “Culottées” (“Atrevidas”, em português) assinada por Pénélope Bagieu. É conteúdo original da France Télévision e já recebeu vários prémios pelo mundo fora, tendo sido comprada por outras cadeias televisivas como a italiana RAI, por exemplo.

Artigo atualizado às 13h36 de dia 26 de junho de 2020 com a retificação de que os episódios da série “Destemidas” não foi apagado do site da RTP mas sim transferido da plataforma infantil Zig Zag para a mais genérica RTP Play.

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.