O governo de Macau anunciou esta segunda-feira um plano de estágios em parceria com empresas do território para permitir aos finalistas da universidade obterem experiência no mercado laboral, em crise devido à Covid-19.

O programa de estágio “Vencer as dificuldades causadas pela epidemia e criar melhores perspetivas de trabalho” conta com mais de 1.800 vagas e tem a duração de três meses, indicou a Direção dos Serviços para os Assuntos Laborais, em comunicado.

As empresas de estágio compreendem empresas de assuntos públicos de Macau (nomeadamente empresas de água, eletricidade e telecomunicações), bancos e empresas grandes de lazer que irão oferecer vagas de estágio sobre a construção, tecnologia de informação, serviço de clientes, serviço de restauração, recursos humanos, aquisição de bens, finanças, gestão e operação de instalações”, acrescentou.

Os potenciais participantes têm até ao dia 6 de julho para se inscreveram, detalharam as autoridades, acrescentando que o estágio será realizado em duas fases, em julho e agosto.

“Durante o estágio, a empresa atribuirá aos participantes um subsídio de oito mil patacas (893 euros) por mês ou de 50 patacas (5,58 euros) por hora e irá adquirir apólice de seguro para os mesmos”, concluiu.