As ações da Cofina seguiam esta quinta-feira a meio da manhã a valorizar-se mais de 18%, depois de na quarta-feira a empresa de Paulo Fernandes ter lançado uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre 100% da Media Capital.

Cerca das 10h40, as ações da dona do Correio da Manhã seguiam a subir 18,18% para 0,26 euros.

A Cofina lançou uma OPA sobre 100% do capital da dona da TVI, alterando a oferta de 21 de setembro, sendo o valor de referência proposto de 0,415 euros por ação, a que corresponde um montante total de 35 milhões de euros e considera um entreprise value de cerca de 130 milhões de euros.

Cofina lança OPA sobre 100% da dona da TVI, mas Mário Ferreira também pode ser obrigado a fazê-lo

A Media Capital — cujas ações seguem inalteradas nos 2,12 euros desde 27 de julho, já que a empresa tem freefloat(capital disperso) residual — tem oito dias corridos, a contar da receção dos projetos de prospeto e de anúncio de lançamento da OPA da Cofina, para elaborar um relatório sobre a oportunidade e condições da oferta.

Sobre a modificação da OPA preliminarmente anunciada, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) disponibiliza no seu site um conjunto de perguntas e respostas. A Cofina tem até final do mês para fazer o pedido de registo da OPA.

Atendendo à modificação da oferta, a Cofina deverá remeter novas versões do projeto de prospeto e de anúncio de lançamento à sociedade visada para que esta se pronuncie sobre os novos termos da oferta. Após a receção e análise dessa documentação, a sociedade visada deve, no prazo máximo de oito dias (corridos) enviar ao oferente, à CMVM e divulgar ao público, um relatório sobre a oportunidade e as novas condições da oferta”, acrescenta a CMVM.

A Media Capital é detida em 64,47% pela Vertix SGPS, tendo a Pluris Investments 30,22%. O NCG Banco tem 5,05%, sendo que o capital disperso em bolsa (free-float) é de 0,26%. Sensivelmente à mesma hora, as ações da Impresa, dona da SIC, seguiam a deslizar 0,38% para 0,13 euros.