O presidente da agência de promoção do turismo na Irlanda demitiu-se, após saber-se que passou férias em Itália, apesar do apelo do Governo para que os irlandeses privilegiassem as viagens no país, devido à pandemia de covid-19.

Num comunicado, a ministra do Turismo irlandês, Catherine Martin, anunciou que aceitou a demissão apresentada por Michael Cawley, presidente da agência Failte Ireland, realçando que estava “dececionada” e que considerava a situação “insustentável”.

O jornal The Independent noticiou que o antigo executivo da Ryanair tinha passado as férias em Itália.

“Em solidariedade com o setor e para ajudar o país a reabrir escolas com segurança, o Governo e meu ministério, em particular, encorajaram as pessoas a passarem as férias na Irlanda este ano”, lembrou a ministra.

Embora Itália esteja na lista verde, o que significa que as pessoas que retomaram as suas atividades não precisam limitar os seus movimentos, o Governo pediu à população que evite todas as viagens não essenciais. Muitos cidadãos e residentes seguiram esta instrução”, prosseguiu.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 760 mil mortos e infetou mais de 21 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A Irlanda contabiliza um total de 1.774 mortes e 26.995 infetados, enquanto Portugal apresenta 1.775 mortos associados à covid-19 em 53.981 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).