A Renault decidiu que era chegada a ocasião de lançar o Twingo em versão eléctrica, o que para a marca francesa é “ZE”. O esforço não foi grande, pois o construtor francês já tinha concebido o chassi do modelo, que serve igualmente o Smart, para ser capaz de dar origem a uma versão 100% eléctrica alimentada por bateria.

Mas propor um eléctrico a bateria similar ao Smart, com apenas 17,6 kWh de capacidade de bateria e uma autonomia de 129 km (na versão ForFour e 133 no ForTwo), não fazia sentido para a Renault, pelo que os franceses esperaram que novos avanços na química dos acumuladores permitissem ter baterias com maior capacidade face ao volume ocupado.

Renault revela Twingo ZE com 180 km de autonomia

É isto que leva o Twingo ZE a oferecer uma bateria de 22 kWh (21,3 kWh úteis) que, por sua vez, assegura uma autonomia de 190 km. Trata-se de um valor ligeiramente superior ao estimado inicialmente pela marca, que apontou para uma autonomia de 180 km. Contudo, agora que são conhecidos os valores oficiais de homologação em WLTP, de acordo com o protocolo de medição europeu, a autonomia aumentou 10 km, o equivalente a um ganho de 5,5%.

Além da autonomia de 190 km em ciclo combinado, o Twingo ZE é capaz de 270 km de autonomia em ciclo urbano, também aqui mais 20 km do que o estimado, um incremento de 8%. Apesar destes “saltinhos” em frente, o Renault fica bastante longe da autonomia anunciada pelos seus rivais do Grupo Volkswagen, nomeadamente o VW e-up!, o Seat Mii Electric e o Skoda Citigoe iV.